Milho abre a 4ªfeira se movimentando pouco nas Bolsas

Publicado em 20/04/2022 09:20
B3 e CBOT tinham flutuações próximas da estabilidade nesta manhã

Logotipo Notícias Agrícolas

A quarta-feira (20) começa com os preços futuros do milho operando próximos da estabilidade na Bolsa Brasileira (B3). As principais cotações registravam flutuações em campo misto por volta das 09h14 (horário de Brasília).

O vencimento maio/22 era cotado à R$ 90,95 com alta de 0,06%, o julho/22 valia R$ 92,00 com estabilidade, o setembro/22 era negociado por R$ 92,80 com perda de 0,16% e o novembro/22 tinha valor de R$ 94,34 com baixa de 0,12%.

Mercado Externo

A Bolsa de Chicago (CBOT) também começou a quarta-feira contabilizando flutuações em campo misto e próximas da estabilidade para os preços internacionais do milho futuro por volta das 09h05 (horário de Brasília).

O vencimento maio/22 era cotado à US$ 8,07 com elevação de 3,75 pontos, o julho/22 valia US$ 8,02 com alta de 2,50 pontos, o setembro/22 era negociado por US$ 7,61 com ganho de 0,25 pontos e o dezembro/22 tinha valor de US$ 7,46 com queda de 1,00 ponto.

Segundo informações da Agência Reuters, o milho de Chicago permaneceu praticamente inalterado nesta quarta-feira após quase uma alta de uma década na sessão anterior, com os comerciantes preocupados com os atrasos no plantio nos Estados Unidos e a falta de suprimentos da Ucrânia devastada pela guerra.

“O valor estimado do mercado de grãos e oleaginosas em aberto fechou a semana em alta histórica, impulsionado por preços elevados, já que a escassez de milho, trigo e óleos vegetais parece iminente em meio a conflitos persistentes e intensificados no principal produtor e exportador da Ucrânia”, analistas do JPMorgan disse em nota.

Relembre como fechou o mercado na última terça-feira:

Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário