Milho: Conab comercializou cerca de 7 milhões de toneladas em 2009

Publicado em 22/04/2010 08:17 255 exibições
No ano passado, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) comercializou, via leilões Pepro (Prêmio de Equalização de Preços ao Produtor, PEP (Prêmio de Escoamento da Produção) e Aquisições do Governo Federal (AGFs), um estoque de 7,11 milhões de toneladas de milho de Mato Grosso. Ao todo, foram realizados 25 leilões, sendo 21 de PEP (3,80 milhões de toneladas) e quatro leilões Pepro, totalizando 1,33 milhão de toneladas. O governo federal enxugou ainda do mercado mais 1,97 por meio das AGFs.

Desse total, 5,14 milhões foram escoados no ano passado com os incentivos dos instrumentos de subvenção. Da zona de produção, a Conab removeu 500 mil toneladas no ano passado e 300 mil toneladas em 2010. De acordo com o superintendente regional da Conab, Ovídio Miranda, o governo federal ainda tem estocado no Estado 2,9 milhões de toneladas estocados. A diferença entre os estoques públicos – 2,9 milhões t - para o montante ainda parado no Estado, 3,1 milhões t, é volume ainda nas mãos dos produtores.

“O produtor neste momento está ansioso pelos leilões por conta da produção que começa a ser colhida a partir de maio”, admitiu Miranda.

A Conab tem apenas cinco unidades armazenadoras em Mato Grosso – Alta Floresta, Sinop, Sorriso, Diamantino e Rondonópolis - com capacidade estática de 200 mil toneladas. A capacidade estática total do Estado, somando-se as 2,275 mil unidades de armazenamento – oficiais e particulares - é 27 milhões de toneladas.

Segundo Ovídio Miranda, o governo federal está estudando a adoção de medidas para propiciar o escoamento do estoque regulador que está depositado em Mato Grosso.

Ele também defende o início dos leilões antes da colheita, para evitar o problema do ano passado, quando boa parte da produção ficou sem cobertura de armazenagem.

Para Ovídio Miranda, a solução definitiva para o problema de armazenamento passa por investimentos para a implantação e fortalecimento da estrutura na área de armazenagem. “A Conab tem estudos apontando que o ideal seria a capacidade estática ser no mínimo 20% acima da produção”.

Mato Grosso - Para a safra mato-grossense 09/10, a Conab estima uma produção de 30 milhões de toneladas de grãos – soja, milho, algodão e arroz, volume que concede ao Estado a liderança nacional na produção de grãos e fibras. A soja terá uma produção de 18,77 milhões, seguido do milho, com 9,5 milhões de toneladas, algodão (1 milhão de toneladas) e, arroz, 742 mil toneladas.

Ovídio afirmou que a estrutura de armazenagem vem crescendo com a produção, mas ainda há déficit em torno de três milhões de toneladas na capacidade estática.
Tags:
Fonte:
Diário de Cuiabá

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário