MILHO: CONAB REDUZ VOLUME NO 4º LEILÃO DE PEP PARA 970 MIL T

Publicado em 18/06/2010 19:32 592 exibições

A oferta de milho no quarto leilão de Prêmio de Escoamento de Produto, marcado 
para a próxima quinta-feira (24), caiu para 970 mil toneladas ante 1 milhão de toneladas ofertadas nas operações anteriores. A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) ajustou os volumes considerando os resultados obtidos no último pregão, que negociou o maior volume ate agora, ou 91% da oferta.
Em Mato Grosso do Sul, que vem registrando o menor interesse pela subvenção do governo entre os Estados, a redução foi de 30 mil t. A oferta agora será de 50 mil toneladas de milho. Em Mato Grosso, houve redistribuição dos volumes ofertados devido à grande disputa pelos prêmios das regiões 1 - conhecida como "nortão" - e 2, de Lucas do Rio Verde e Sorriso. Com isso, a região 5, no extremo-leste do Estado, perde 20 mil toneladas e terá oferta para apenas 5 mil toneladas do cereal. 
Esse volume foi para as regiões 1, com prêmio equivalente a 175 mil t ante 165 mil t dos pregões anteriores, e 2, que também recebeu acréscimo de 10 mil toneladas, e terá oferta total de 125 mil t de milho. Os demais Estados não tiveram alterações no volume. Os valores dos subsídios permaneceram os mesmos do último leilão, realizado ontem (17) pela Conab.

PEPRO INCLUI MARANHÃO E PIAUÍ, ALÉM DA BAHIA, PARA 140 MIL T 
O leilão de Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (Pepro), confirmado pela 
Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para a próxima quinta-feira (24), contemplará a produção do Maranhão e do Piauí, além do oeste da Bahia. O volume total é de 140 mil t. Em entrevista ontem à Agência Estado, o superintendente de gestão da oferta da Conab, Carlos Eduardo Tavares, havia antecipado que os dois Estados seriam incluídos nesta operação.
O leilão terá oferta de 120 mil t das regiões de Luis Eduardo Magalhães e Barreiras, na Bahia, com prêmios entre R$ 3,36/saca e R$ 6,60/saca. Já no Maranhão haverá disputa para subsídio equivalente a 10 mil t com prêmio de R$ 4,56/saca. O volume referente ao Piauí também é de 10 mil t, com subsídio de R$ 4,86/saca. O preço mínimo de referência é de R$ 19,02/saca.

Tags:
Fonte:
O Estado de S. Paulo

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

1 comentário

  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Estas 30 mil t bem que poderiam ter sido redistribuidas para Goiás. Na Bahia suprimiram 20 mil t, redistribuindo-as fifty-fifty para o Maranhão e o Piauí. O Prêmio para o Piaui é igual ao da Bahia R$ 4,86/sc e o tadinho do Maranhão, apesar de ser mais longe disputará um Prêmio de R$ 4,56/sc. Já no preço de referencia ficou estabelecido R$ 19,20 para a Bahia e R$ 19,02 para o Maranhão e o Piauí... dando uma ligeira "noção" de cálculo prozaico, porque se não me engano o Preço Minimo para a região é o mesmo. Eu só lamento o pouco prazo que é concedido para concretizar as operações: 26/07/2010 - Para mim deveria ser até o final de novembro, com isto o PEPRO funcionaria como uma espécie de Prêmio para estimular os agricultores a carregarem o estoque ao longo do tempo, sem custo para o Govêrno mas seus técnicos não se flagram disto.

    0