Céleres mantém projeção para 1ª safra de milho no Brasil em 31 mi t

Publicado em 10/03/2011 10:21 562 exibições
A primeira safra de milho do Brasil em 2010/11 foi estimada em 31 milhões de toneladas, estável em relação à previsão de fevereiro, informou nesta quarta-feira a consultoria Céleres em relatório, que apontou também um atraso na colheita do cereal em função das chuvas.

Em relação à temporada passada, ocorrerá uma queda de 6,6 por cento na produção de verão de milho do país, em meio a uma redução de 6,5 por cento na área plantada, para 7,58 milhões de hectares, segundo a consultoria.

"Em virtude do bom desenvolvimento da safra, tendo em vista que 19 por cento da área semeada já foi colhida e os níveis de produtividades estão se mantendo dentro das nossas expectativas, decidimos manter os dados...", afirmou a Céleres.

Apesar de as chuvas favorecerem o desenvolvimento das lavouras, têm retardado os trabalhos de colheita em algumas regiões.

No ano passado, nesta época, 25 por cento da área semeada na primeira safra já havia sido colhida.
"O excesso de umidade nos campos tem atrapalhado muito a colheita do milho nas últimas três semanas. Mesmo o Estado do Rio Grande do Sul, que lidera a colheita do cereal no país, teve uma evolução semanal de apenas três pontos percentuais...", notou a consultoria.

SAFRINHA

A Céleres também manteve inalterada a sua previsão sobre a segunda safra de milho do Brasil, estimada para crescer 16 por cento na comparação com 2009/10, para 22,44 milhões de toneladas, graças a um crescimento de 8,1 por cento na área plantada, para 5,44 milhões de hectares.

"A safra de inverno ainda se mostra um pouco nebulosa, visto que em sua grande maioria o plantio está acontecendo com atraso em relação ao ano passado, e muitos produtores iniciaram seus trabalhos de semeadura mesmo estando finalizado o período ideal determinado pelo zoneamento agrícola do Ministério da Agricultura", observou a Céleres.

Produtores plantaram até o final da semana passada 36,3 por cento da área prevista, contra 51,5 por cento na mesma época do ano passado.

"Mesmo com os riscos de um plantio mais tardio, os produtores estão muito motivados a cultivar o cereal na safra de inverno por causa do preço firme observado nos últimos meses, o que poderá ampliar um pouco mais a área cultivada no país."

As chuvas também têm atrapalhado a semeadura da safrinha, uma vez que produtores só conseguem plantar após a colheita de soja, atrasada como a do milho verão.

Tags:
Fonte:
Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário