Qualidade do milho causa surpresa no MS

Publicado em 06/09/2011 07:55 572 exibições
Apesar da perda na produtividade por causa da seca e da geada, os resultados na hora de classificar os grãos de milho nas cooperativas estão surpreendendo. Grande parte da safrinha foi colhida dentro do prazo, mas em alguns casos ainda continua por conta do atraso no plantio causado pela colheita tardia da soja.

Na propriedade de Allan Christian Kruger, em Dourados, as máquinas passaram para colher o milho semeado mais tarde. Dos 450 hectares plantados na safrinha o produtor estima que 30% foram atingidos pela geada. Na área a produtividade esperada é de 30 sacas por hectare, mas o produtor não fala em prejuízos porque na maior parte da plantação o rendimento médio deve ser de 70 sacas por hectare. "Com certeza vou conseguir ter uma boa renda para pagar todos os custos da produção", afirmou Kruger. A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estima que no Mato Grosso do Sul houve uma queda de 22% na produtividade. Em uma cooperativa do município, apenas 2% dos grãos que chegaram até agora estão com a qualidade abaixo da esperada. Segundo informações do gerente da cooperativa, Antonio Nishimura, 20 mil toneladas de milho vão chegar à cooperativa até o fim da colheita, deste total 75% já estão nos silos. "Mesmo com as geadas, tivemos uma qualidade muito boa no milho", analisou o Nishimura. Ainda segundo informações da Conab, no estado foram plantados quase 946 mil hectares. A produção estimada de 2,9 milhões de toneladas é 12,7% menor se comparada ao ano passado. Segundo a Fundação MS, que acompanha resultados de pesquisas de qualidade do milho, para cobrir os custos de produção o agricultor precisa colher 50 sacas por hectare.

Tags:
Fonte:
DCI

0 comentário