Petrobras contrata linhas flexíveis para revitalização de Marlim e Voador

Publicado em 18/06/2021 17:18 68 exibições
Área completa 30 anos de operação e prevê dois novos FPSOs para estender a produção por mais 27 anos

A Petrobras assinou nesta semana dois contratos para fornecimento de linhas flexíveis que serão utilizadas no projeto de revitalização da produção dos campos de Marlim e Voador, localizados na Bacia de Campos. Do total de 448 km de linhas flexíveis do projeto, 280 km foram contratados junto à empresa NOV e 168 km com a Baker Hughes.

Neste ano, outros compromissos foram assumidos dentro do planejado para o projeto. Entre os meses de março e abril, foram assinados os contratos de fornecimento de até 92 km de linhas flexíveis para gas lift (gaseificação da coluna de produção), com a empresa NOV, e de fornecimento de até 13 manifolds submarinos de produção e injeção, sendo 8 com a TechnipFMC e 5 com a Baker Hughes, além de contratos de materiais de ancoragem, equipamentos submarinos e umbilicais.

As iniciativas fazem parte do projeto de revitalização de Marlim e Voador que visa maximizar o potencial destes ativos e promover mais retorno para a empresa e para a sociedade, criando um ciclo virtuoso de geração de valor.

O projeto de revitalização, operado 100% pela Petrobras, prevê a instalação de duas novas plataformas do tipo FPSO na área Norte (Módulo 1) e na área Sul (Módulo 2) do campo de Marlim. Em 2019, a companhia assinou contratos para o afretamento das plataformas com a empresa japonesa Modec (FPSO Anita Garibaldi) e a Yinson (FPSO Anna Nery), da Malásia.

As duas plataformas, que estarão interligadas a 77 poços (14 novos e 63 que serão remanejados de Unidades de Produção que serão descomissionadas), devem entrar em operação em 2023 e permitirá a extensão da produção das jazidas do campo até 2048, com manutenção de empregos e serviços de apoio na região. Os novos sistemas possibilitarão a ampliação da produção atual de Marlim e Voador dos cerca de 45 mil boepd (barris de óleo equivalente por dia) para cerca de 153 mil boepd, oferecendo uma importante frente de aprendizado e conhecimento para outros projetos de revitalização.

Marlim começou a produzir em 1991 e é o campo com maior produção acumulada da Petrobras, com quase 3 bilhões de barris de petróleo equivalente. Das 10 plataformas originalmente instaladas, 9 permanecem na locação, sendo que 4 ainda estão em operação. O projeto de revitalização estabelece a implantação dos novos sistemas em paralelo com as atividades de descomissionamento das unidades antigas, sendo que até 2025 ocorrerão as desinstalações de todas as plataformas em operação de forma escalonada.

O Plano Estratégico 2021-2025 da Petrobras prevê US$ 13 bilhões de investimentos para a revitalização da produção de óleo e gás na Bacia de Campos, celeiro de inovações que projetaram a companhia como líder em exploração e produção em águas profundas e ultraprofundas. Os investimentos abrangem a interligação de aproximadamente 100 poços aos sistemas que estão em produção, a intensificação das campanhas exploratórias na camada pré-sal dessa bacia, novos projetos de produção e a extensão dos prazos de concessão dos campos de nosso portfólio nesta importante bacia petrolífera, entre outros esforços.

Por ser considerada tecnicamente uma bacia madura, a Bacia de Campos apresenta cada vez mais desafios a serem superados para o aumento da recuperação dos campos, o que exige um trabalho integrado do corpo técnico da companha em busca de soluções inovadoras e investimentos em equipamentos de alta tecnologia. A Petrobras tem aplicado concepções otimizadas de poços, como o TOT-3P, que tem como objetivo reduzir o tempo e custo de construção de poços, além da redução de custos de interligações submarinas e de novas técnicas para o controle de permeabilidade dos reservatórios, que restringem a produção de água e otimiza a produção de óleo.

Fonte:
Petrobras

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário