Plano Safra prevê R$ 300 milhões para agricultura familiar sul mato-grossense

Publicado em 26/09/2013 09:08
623 exibições

Para garantir aumento e proteção da renda da agricultura familiar, acesso à inovação tecnológica e estímulo à produção de alimentos, o Governo Federal anuncia nesta quinta-feira (26), o Plano Safra da Agricultura Familiar 2013/2014 para o estado de Mato Grosso do Sul. O lançamento será realizado às 8h30, no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea), em Campo Grande (MS), e deve reunir produtores, movimentos sociais e representantes do poder público.

O Plano prevê, com base nos valores contratados nas safras anteriores, a aplicação de R$ 300 milhões no estado pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Os números parciais da última safra, mostram o financiamento de 7,8 mil contratos do Pronaf, totalizando aproximadamente R$ 161,5 milhões. Aumento de cerca de 30% em relação à safra 2011/2012. “Estamos concentrando esforços para na emissão e regularização das Declarações de Aptidão ao Pronaf (DAP), pois assim teremos mais pessoas com condições participar”, explica o delegado federal do Ministério do Desenvolvimento Agrário em Mato Grosso do Sul, João Batista dos Santos.

Com mais de 40 mil agricultores familiares, responsáveis por aproximadamente 65% das propriedades rurais no estado, a expectativa é ampliar o acesso às políticas públicas para o setor. “Hoje o produtor familiar tem acesso a seguro de produção, expectativa de comercialização e garantia de venda a preço justo, além de acesso a crédito. Com isso, ele tem cada vez mais condições que produzir”, pontua o delegado.

Resultados na vida do produtor 

As políticas de comercialização têm peso importante para a agricultura familiar sul mato-grossense. Em 2012, os produtores do estado movimentaram mais de R$ 12,5 milhões em todas as modalidades do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e R$ R$ 7,5 milhões pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). A fim de qualificar ainda mais esta participação, o MDA tem firmado parcerias com os municípios para aquisição de produtos da agricultura familiar.

Maria Costa, 53 anos, aprova os programas de comercialização. Em 2006, ela criou, junto a outras cinco mulheres, a Associação de Mulheres Rurais e Empreendedoras de Santa Terezinha, no município de Itaporã (MS), com objetivo de aproveitar as goiabas que não eram comercializadas e apodreciam no quintal da casa. Para atender às demandas dos mercados institucionais, o grupo cresceu e ampliou o número de produtos, além de goiaba, a entidade produz milho, quiabo, abóbora, mandioca, entre outros. Os resultados podem ser vistos, segundo ela, na melhoria da qualidade de vida e renda. “Agora todo mundo vai poder mandar os filhos para a faculdade”, comemora.

Mais cidadania 

O Governo Federal também desenvolve no estado, por meio do Ministério do Desenvolvimento Agrário, ações que visam melhorar o acesso à cidadania dos homens e mulheres do campo. O Programa Nacional de Documentação da Trabalhadora Rural já realizou 127 mutirões em Mato Grosso do Sul, atendendo mais de 30 mil mulheres. Por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego no Campo (Pronatec Campo), estão pactuadas 790 vagas para cursos técnicos voltados para a área rural no estado. Também foram doadas 262 bibliotecas do Arca da Letras. São quase 55 mil livros distribuídos a comunidades rurais, de acordo com as necessidades locais.

Fonte: MDA

0 comentário