Tereza Cristina diz que anúncio do Plano Safra 20/21 será no dia 17 de junho

Publicado em 08/06/2020 10:20 e atualizado em 08/06/2020 10:53 5124 exibições

LOGO estadao

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, anunciou que o Plano Safra 2020/21 será divulgado no dia 17 de junho. "Está marcado", garantiu ela, em live promovida na tarde da última sexta pela MZR Consultoria. Ela ressaltou, porém, que ainda não tem a taxa de juros fechada para o próximo ciclo agrícola, que tem início em 1º de julho. "Mesmo se tivesse estaria impedida de dizer", enfatizou.

Segundo Tereza Cristina, a prioridade no crédito agropecuário para a temporada 2020/21 será, novamente, os pequenos e médios produtores. "Temos de viabilizar os pequenos produtores, para que eles entrem cada vez mais no sistema de produção de alto nível e tenham mais renda", justificou, acrescentando que desde o ano passado a política agrícola no Plano Safra beneficiou pequenos e médios produtores. "O grande produtor dispõe de outras formas de financiamento; eles podem buscar recursos no mercado".

Ela citou a mais recente ferramenta de captação de recursos para o setor agropecuário, principalmente para grandes produtores, embutida na Lei 13.986, de 7 de abril de 2020 - a antiga MP do Agro, que trouxe várias mudanças no sistema privado de financiamento do agronegócio.

De todo modo, para o ano-safra que se inicia em 1º de julho, Tereza Cristina mostrou preocupação em garantir recursos para linhas de investimento, sobretudo Inovagro, Moderagro, PCA e Moderfrota. No caso do PCA, por exemplo, linha destinada à armazenagem, a ministra disse não ter "nada contra" cooperativas e cerealistas, mas reforçou que o produtor "tem de ter armazém na propriedade". "Ele precisa de um silo-pulmão na fazenda", disse.

A ministra citou, além disso, o setor de avicultura, que tem ampliado fortemente as vendas externas e demanda grandes investimentos em segurança alimentar. "O setor avícola precisa de muito capital. Cada vez mais se exige em termos de biossegurança na área de sanidade nesses aviários; cada vez mais eles precisam se modernizar e precisam atender a mais exigências sanitárias, tanto aqui quanto lá de fora."

Mesmo demonstrando preocupação com essas linhas de investimento e às portas do anúncio do Plano Safra 2020/21, a ministra reconheceu que ele ainda não é o que ela gostaria. "Poderia ser um pouco mais (de recursos)", disse. "Mas o plano que vamos aprovar vai deixar a agricultura com essa possibilidade, de ter crédito e produzir mais."

Tereza Cristina: Me preocupa um pouco a dependência do (agronegócio) do Brasil com a China 

LOGO estadao

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, comentou sobre a forte relação comercial entre Brasil e China, principalmente na exportação de soja, em live promovida na tarde da última sexta pela MZR Consultoria,. Mas, justamente por isso, disse: "Até me preocupa um pouco a dependência que o Brasil tem da China na exportação de soja, sobretudo nos últimos anos". Segundo ela, quando o comércio entre Estados Unidos (grande fornecedor de soja para a China) e o gigante asiático estremeceu, o Brasil ocupou esse espaço, "porque não tem outro país (para exportar o volume que a China adquire)". "Ou é o Brasil ou são os Estados Unidos."

Embora reconheça que o Brasil pode e tem "tirado proveito, no bom sentido" dessa relação comercial, é importante diversificar a pauta de exportações com a China e com outros países, mas reduzir essa dependência. "Já discutimos, por exemplo, com a China a abertura um pouco maior para o nosso farelo de soja", citou. "E também conseguimos certificado para exportar farelo de algodão para lá. Abrimos este mercado, mas ainda estamos terminando a regulação dele. Do melão também."

Ela disse acreditar, entretanto, que "nunca é bom colocar todos os ovos numa só cesta". "O Brasil pode se beneficiar (do comércio com a China), mas temos de ter cuidado", continuou. "Assim como a China não pode se tornar dependente de um único mercado fornecedor, o Brasil também tem de procurar novos mercados. Essa dependência é ruim para os dois lados."

Fonte:
Estadão Conteúdo

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário