Nova greve nacional busca paralisar Argentina por melhorias salariais

Publicado em 28/08/2014 09:54 e atualizado em 28/08/2014 11:14 241 exibições

Com bloqueios de ruas começou nesta quinta-feira (28) na Argentina a segunda greve nacional do ano, convocada pelas três centrais operárias opositoras à presidente Cristina Kirchner, que buscam paralisar o país exigindo melhorias salariais, num momento em que a economia está em declínio.

O governo afirma que os sindicatos opositores que convocaram a greve e que prometem mais ações de força para setembro buscam obter ganhos políticos.

Bloqueios e piquetes nos acessos principais a Buenos Aires e ao centro da capital, onde milhares de pessoas trabalham, foram organizados pelos grupos sindicais mais radicais desde a meia-noite desta quinta-feira para impedir a passagem de alguns transportes públicos, como táxis e ônibus que não aderiram à greve.

Leia a íntegra no G1

 

Trabalhadores argentinos fazem greve em Buenos Aires

Um dos sindicatos mais radicais da Argentina deu início a uma greve de 36 horas nesta quarta-feira, em Buenos Aires. Membros da União Central dos Trabalhadores bloqueiam as principais vias da capital em um protesto por aumento dos salários e contra os impostos e o custo de vida elevado no país.

Leia a íntegra no O Povo Online

 

Greve na Argentina faz companhias aéreas cancelarem 12 voos ao país

A greve geral na Argentina convocada para esta quinta-feira fez ao menos três companhias aéreas cancelarem 12 voos que partiriam do Brasil com destino ao país. As companhias que cancelaram voos são a Tam, Gol e a Lan.

A Gol Linhas Aéreas cancelou dois voos programados para o Aeroparque, em Buenos Aires. A orientação da companhia é que os passageiros entrem em contato com a central de relacionamento no Brasil pelo telefone 0300 115 2121 e na Argentina no 0810 2663 131.

Leia a íntegra na Folha

Fonte:
G1+ O Povo + Folha

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário