Sede da Abril é pichada em protesto contra reportagem da 'Veja

Publicado em 25/10/2014 04:38 e atualizado em 25/10/2014 05:39 354 exibições

Em protesto contra reportagem de capa da revista "Veja", cerca de 50 pessoas picharam a sede da editora Abril, localizada na zona oeste de São Paulo, e espalharam edições picadas da publicação em frente ao prédio na noite desta sexta-feira (24).

Segundo a revista, o doleiro Alberto Youssef disse em depoimento à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal, no seu processo de delação premiada, que a presidente Dilma Rousseff (PT) e o ex-presidente Lula tinham conhecimento do esquema de desvio de dinheiro na Petrobras.

Candidata à reeleição, Dilma classificou a reportagem de "terrorismo eleitoral"e disse que a revista "agride nossa tradição democrática" ao publicar as acusações do doleiro "sem prova concreta".

Na calçada, nas paredes e na placa da Abril, que publica o semanário, foram escritas frases como "Veja mente" e "fora Veja". As pichações são assinadas pela UJS (União da Juventude Socialista), organização de militância jovem ligada ao PC do B.

Além de edições da revista, foram espalhados sacos de lixo rasgados e pedaços de papel higiênico em frente ao portão da empresa.

Folha não conseguiu entrar em contato com a UJS para verificar a autenticidade da assinatura.

Segundo testemunhas, os manifestantes passaram cerca de meia hora no local cantando gritos de guerra contra a revista. Eles deixaram o local por volta das 19h30.

A Polícia Militar afirmou que quatro pessoas foram detidas e levadas ao 14º DP (Pinheiros), onde devem assinar um termo circunstanciado e serem liberadas.

Agradecemos aos colaboradores da Revista Veja o envio da imagem de sua sede social, destruída hoje por militantes do PT, após a publicação da edição na qual é provada que a candidata Dilma e o ex-presidente Lula tinham conhecimento da corrupção (2% pagos de propina ao PT) que acontecia na Petrobrás.
Fonte:
Folha de S. Paulo

0 comentário