Ministro do Desenvolvimento entrega carta de demissão e diz que é o momento "adequado"

Publicado em 12/11/2014 11:47 e atualizado em 12/11/2014 17:56 134 exibições

(Reportagem de Eduardo Simões)

 

(Reuters) - O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Mauro Borges, entregou sua carta de demissão do cargo, segundo informou a Agência Brasil nesta quarta-feira.

Na véspera, a ministra da Cultura, Marta Suplicy, também entregou o cargo em carta à presidente Dilma Rousseff, que inicia em janeiro seu segundo mandato depois de se reeleger no final de outubro.

Borges disse que entregou a carta de demissão para deixar Dilma "à vontade" para formar a equipe em seu segundo mandato e negou a existência de um prazo para os ministros entregarem seus cargos na Esplanada.

"Não (houve pedido de antecipar a entrega das cartas pondo o cargo à disposição). Na verdade, há uma visão geral de todos os ministros de que o momento é adequado. Estamos dentro do calendário da transição, no início da transição. Evidentemente, nós nos falamos. Existe uma comunicação entre os ministros, com o próprio ministro (Aloizio) Mercadante, que é o coordenador, chefe da Casa Civil. Mas esse é um procedimento absolutamente natural", disse Borges, segundo a agência.

Na semana passada, uma fonte do governo disse à Reuters que o empresário Josué Gomes da Silva, filho do falecido ex-vice-presidente José Alencar, descartou a possibilidade de assumir o Ministério do Desenvolvimento. Ele era um dos principais nomes cotados para o posto.

Borges disse à Agência Brasil que com a possível saída do ministério, deve retomar seu posto de professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

"O leito natural do meu retorno é a UFMG. É claro que eu estou à disposição do país."

Ministro do Trabalho diz que deixará o cargo 'à disposição'

O ministro do Trabalho, Manoel Dias, disse que na próxima terça-feira entregará a Dilma Rousseff (PT) uma carta em que colocará o cargo à disposição. A medida, segundo ele, já estava prevista para que a presidenta “fique à vontade” para fazer as mudanças que entender necessárias para o próxima gestão.

“No dia 18 entrego a carta que coloca o cargo à disposição, um gesto para deixá-la bem à vontade. Todos estamos cientes que termina um governo, começa um novo e, como a própria presidenta pregou durante a campanha: governo novo, ideias novas”, disse o ministro.

Manoel disse esperar que o próximo governo seja dinâmico e que dê prosseguimento às políticas empreendidas nos últimos anos.

Leia a notícia na íntegra no site do Terra

Agência Brasil: Ministro do Trabalho entregará carta de demissão para Dilma no dia 18

O ministro do Trabalho, Manoel Dias, disse nesta quarta-feira que, na próxima terça-feira (18), entregará à presidenta Dilma Rousseff uma carta em que coloca o cargo à disposição. A medida, segundo ele, já estava prevista para que a presidenta “fique à vontade” para fazer as mudanças que entender necessárias à próxima gestão.

Na terça-feira (11), a ministra da Cultura, Marta Suplicy, deixou o governo. Ela enviou à Casa Civil uma carta de demissão em que faz sugestões a repeito da política econômica do governo. “No dia 18 entrego a carta que coloca o cargo à disposição um gesto para deixá-la bem à vontade. Todos estamos ciente que termina um governo, começa um novo e, como a própria presidenta pregou durante a campanha, governo novo, ideias novas”, ressaltou o ministro à reportagem. 

Manoel Dias disse esperar que o próximo governo seja “dinâmico e que dê prosseguimento às políticas empreendidas nos últimos anos”. “Sou um homem de partido e estou lá [no ministério] em nome do PDT e em decorrência do apoio do partido ao governo da presidenta Dilma Rousseff. O partido vai conversar com a presidenta, o cargo é dela, que tem a disponibilidade a qualquer momento [de fazer mudanças].”

Fonte:
Reuters + Terra + Agência Brasil

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário