Documento mostra como Lula atuou na reeleição de Hugo Chávez

Publicado em 14/10/2016 15:43 e atualizado em 17/10/2016 11:34
1610 exibições

“Eu durmo tranquilo porque sei que Chávez está ali (na presidência), mas também, às vezes, perco o sono pensando que Chávez poderia perder as eleições de dezembro de 2012”, foi assim que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva manifestou sua preocupação com o desfecho das eleições na Venezuela, conforme relatou o então embaixador da Venezuela no Brasil Maximilien Arveláiz em um e-mail enviado para Caracas. O texto faz parte de um conjunto de documentos da diplomacia venezuelana ao qual VEJA teve acesso.

A conversa relatada por Arveláiz ocorreu na manhã do dia 24 de fevereiro de 2011, em um hotel de São Paulo. Lula havia deixado a presidência menos de dois meses antes. Segundo registrou o diplomata venezuelano, para Lula “uma derrota de Chávez em 2012 seria igual ou pior que a queda do muro do Berlim”. A revelação que sugere que o petista se ressentia do evento que marcou a derrocada do comunismo.

Como estratégia para tentar fortalecer Chávez na disputa eleitoral, Lula planejou a criação de um comando de campanha sediado no Brasil que ele coordenaria pessoalmente ao lado de José Dirceu. Além disso, Lula definia como “fundamental” a entrada da Venezuela no Mercosul. “Se conseguirmos o ingresso seria uma grande vitória política”, anotou Arveláiz.

O diplomata afirma que, além do lobby pelo ingresso no Mercosul, Lula avisou que enviaria João Santana (equivocadamente grafado nos documentos como Joel Santana) para coordenar a campanha presidencial de Chávez.

Leia a notícia na íntegra no site da Veja

Fonte: Veja

1 comentário

  • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

    Na Agricultura há uma constante preocupação com a "erosão" do solo. Após a adoção do sistema de plantio direto, técnica desenvolvida por produtores e técnicos brasileiros, revolucionou o padrão da Agricultura nos Trópicos. Essa herança brasileira deverá ser exportada para países da África, que, segundo especialistas, será o próximo continente a ser explorado com novas tecnologias para a produção de alimentos, haja vista que tem vastas áreas de terras a serem exploradas e possui condições pluviométricas e climáticas propicias ao desenvolvimento de culturas de commodities.
    Agora na seara política o Brasil deixou de adotar boas práticas e, vivenciamos nas últimas décadas, uma vasta "erosão" nos princípios éticos na condução política e das ações governamentais das elites escolhidas pelo voto.
    Vão-se algumas décadas para soterrar as voçorocas sociais, produzidas por políticas antiéticas, conduzidas por políticos imorais.
    BOM TRABALHO !!!

    1
    • CARLO MELONISAO PAULO - SP

      Sr Paulo o pai do plantio direto e' um brasileiro do Sul de ascendencia alema, e foi da Alemanha que trouxe essa ideia -----Foi o que eu li num artigo da Globo, mas se o sr tem informaçoês diferentes gostaria de conhece-las----

      0
    • PAULO ROBERTO RENSIBANDEIRANTES - PR

      Sr. Carlo, segundo os historiógrafos, o pai do Plantio Direto no Brasil foi Herbert Bartz, agricultor de Rolândia_PR, que realizou o primeiro plantio com essa técnica em 1972. Um dos maiores responsáveis pela difusão do plantio direto foi o produtor rural, Manoel Henrique Pereira, mais conhecido como Nonô Pereira, da região dos campos gerais da cidade de Ponta Grossa. São várias pessoas que protagonizaram essa história, acho que daria um belo livro.

      0
    • PAULO ROBERTO RENSIBANDEIRANTES - PR

      continuação:... Será que descobriremos quem foi o "Pai da EROSÃO" dos princípios éticos na condução política ?? He! He! (risos)...

      0