Enquanto livre-comércio com UE é só promessa, Brasil flerta com a França

Publicado em 23/11/2016 06:42
57 exibições

A ideia é reatar um laço que já que já foi mais forte, visando um horizonte ainda maior de possibilidades. Ministros e empresários brasileiros pediram, nesta semana, durante um fórum em Paris, que a França invista mais no Brasil, em particular nas infraestruturas, para permitir relançar o crescimento na maior economia da América Latina.

Além disso, conquistar os franceses - historicamente donos de uma postura mais conservadora dentro da União Europeia - pode ser um importante passo para a concretização do acordo de livre-comércio do Mercosul com os europeus, um dos pontos fundamentais para o agronegócio brasileiro no futuro.

As negociações do tratado foram retomadas no início deste ano, após mais de uma década estacionadas, e podem significar uma redução significativa das tarifas alfandegárias, que atualmente chegam a 4 bilhões de dólares anuais. “Nosso país apoia essas negociações”, disse o secretário de Estado francês de Comércio Exterior, Matthias Fekl, embora tenha ressaltado que a França continua “atenta” a alguns pontos relativos à indústria têxtil, aos serviços e à agricultura.

“Temos que reforçar nossas relações com a França e com a União Europeia”, disse Robson Braga de Andrade, presidente da Confederação Nacional da Indústria. Atualmente, um total de 877 empresas francesas - 38 delas do CAC 40, o principal índice da Bolsa de Paris - estão no Brasil, o principal destino dos investimentos franceses na América Latina.

Leia a notícia na íntegra no site Gazeta do Povo.

Fonte: Gazeta do Povo

0 comentário