Após saída dos EUA, países do TPP querem incluir China no acordo

Publicado em 25/01/2017 06:17
72 exibições

Austrália e Nova Zelândia anunciaram nesta terça (24) que pretendem salvar a Parceria Transpacífico (TPP) ao encorajar a China e outros países asiáticos a aderir ao acordo de comércio internacional, depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, cumpriu sua promessa e se retirou do pacto em decreto assinado na segunda (23).

A TPP, que havia sido assinada mas não ratificada pelo Congresso dos EUA, tinha o apoio do ex-presidente Barack Obama justamente por servir de contrapeso à influência chinesa na região do Pacífico. A ideia era isolar Pequim, que não participou das negociações do acordo. Agora, a China é cortejada para integrar uma tentativa de TPP remodelado e pode expandir seu poderio econômico.

O premiê australiano, Malcolm Turnbull, disse ter conversado com os governos de Japão, Nova Zelândia e Cingapura sobre a possibilidade de manter o acordo mesmo sem os EUA. "Não vamos desistir. Certamente há potencial para que a China se torne parte do TPP".

"A arquitetura original pretendia facilitar a adesão de novos países", disse Steven Ciobo, ministro do Comércio Internacional da Austrália. "Sei que a Indonésia expressou interesse, e haveria espaço para a China, se reformularmos os termos."

Leia a notícia na íntegra no site Folha de S.Paulo.

Fonte:
Folha de S.Paulo

0 comentário