China promete retaliar se Trump impuser tarifa de 25% sobre US$ 200 bi produtos chineses

Publicado em 01/08/2018 08:17
491 exibições

LOGO REUTERS

Por Ben Blanchard e Steve Holland

PEQUIM / WASHINGTON (Reuters) - A China disse nesta quarta-feira que "chantagem" não funcionará e que retaliará se os Estados Unidos tomarem outras medidas que dificultem o comércio, conforme o governo Trump considera uma taxação de 25 por cento sobre os 200 dólares bilhão de mercadorias chinesas.

A proposta aumentaria a alíquota de 10 por cento que o governo havia inicialmente proposto em 10 de julho para essa onda de impostos, numa tentativa de pressionar Pequim a fazer concessões comerciais, disse uma fonte familiarizada com o plano na véspera.

As tarifas visam milhares de importações chinesas, incluindo produtos alimentícios, produtos químicos, aço e alumínio e bens de consumo que vão desde alimentos para cães, móveis e tapetes até pneus de carros, bicicletas e luvas de beisebol e produtos de beleza.

A fonte disse que o governo do presidente Donald Trump poderia anunciar a proposta mais dura já nesta quarta-feira em Washington. O plano para mais que dobrar a tarifa foi divulgado pela primeira vez pela Bloomberg News.

A China, que acusou os Estados Unidos de intimidação, novamente prometeu retaliar se Trump prosseguir com as medidas, alertando que as táticas de pressão falharão.

"A pressão e a chantagem dos EUA não terão efeito. Se os Estados Unidos adotar novos passos, a China inevitavelmente tomará contramedidas e nós protegeremos nossos direitos legítimos", disse o porta-voz do primeiro-ministro chinês, Geng Shuang, em entrevista coletiva.

Trump deve impor tarifas de 25% sobre US$ 200 bi em importações chinesas, diz fonte

LOGO REUTERS

Por Steve Holland e David Lawder

WASHINGTON (Reuters) - O governo Trump pretende impor tarifas de 25 por cento sobre 200 bilhões de dólares em produtos importados da China depois de inicialmente taxá-los em 10 por cento, em uma tentativa de pressionar Pequim a fazer concessões comerciais, disse uma fonte familiarizada com o assunto na véspera.

O governo do presidente Donald Trump disse em 10 de julho que vai impor tarifas de 10 por cento sobre milhares de importações chinesas.

Elas incluem produtos alimentícios, produtos químicos, aço, alumínio e bens de consumo que vão desde alimentos para cães, móveis e tapetes, até pneus de carros, bicicletas, luvas de beisebol e produtos de beleza.

Enquanto as tarifas não são impostas até um período de comentários públicos, aumentar o nível proposto para 25 por cento pode agravar a disputa comercial entre as duas maiores economias do mundo.

A fonte disse que o governo Trump pode anunciar a proposta mais dura já nesta quarta-feira. O plano para mais que dobrar a tarifa foi divulgado pela primeira vez pela Bloomberg News.

Não houve reação imediata do governo chinês. Em julho, a China acusou os Estados Unidos de intimidação e avisou que iria contra-atacar.

Os investidores temem que uma escalada da guerra comercial entre Washington e Pequim possa atingir o crescimento global, e proeminentes grupos empresariais dos EUA condenaram as tarifas agressivas de Trump.

Fonte: Reuters

0 comentário