Desespero (editorial do ESTADÃO sobre as "denúncias" do PT e as fake news)

Publicado em 20/10/2018 04:05
12936 exibições
Consciente de que será difícil reverter a vantagem de Jair Bolsonaro (PSL), o PT decidiu fazer campanha para deslegitimar a eventual vitória do oponente, qualificando-a como fraudulenta (O Estado de S. Paulo)

Consciente de que será muito difícil reverter a vantagem de Jair Bolsonaro (PSL) na disputa pela Presidência da República, o PT decidiu partir para seu "plano B": fazer campanha para deslegitimar a eventual vitória do oponente, qualificando-a como fraudulenta. É uma especialidade lulopetista.

A ofensiva da tigrada está assentada na acusação segundo a qual a candidatura de Bolsonaro está sendo impulsionada nas redes sociais por organizações que atuam no "subterrâneo da internet", segundo denúncia feita anteontem na tribuna do Senado pela presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, que lançou o seu J'accuse de fancaria.

"Eu acuso o senhor (Bolsonaro) de patrocinar fraude nas eleições brasileiras. O senhor é responsável por fraudar esse processo eleitoral manipulando e produzindo mentiras veiculadas no submundo da internet através de esquemas de WhatsApp pagos de fora deste país", afirmou Gleisi, que acrescentou: "O senhor está recebendo recursos ilegais, patrocínio estrangeiro ilegal, e terá que responder por isso. (...) Quer ser presidente do Brasil através desse tipo de prática, senhor deputado Jair Bolsonaro?"

Como tudo o que vem do PT, nada disso é casual. A narrativa da "fraude eleitoral" se junta ao esforço petista para que o partido se apresente ao eleitorado - e, mais do que isso, à História - como o único que defendeu a democracia e resistiu à escalada autoritária supostamente representada pela possível eleição de Bolsonaro.

Esse "plano B" foi lançado a partir do momento em que ficou claro que a patranha lulopetista da tal "frente democrática" contra Bolsonaro não enganou ninguém. Afinal, como é que uma frente política pode ser democrática tendo à testa o PT, partido que pretendia eternizar-se no poder por meio da corrupção e da demagogia? Como é que os petistas imaginavam ser possível atrair apoio de outros partidos uma vez que o PT jamais aceitou alianças nas quais Lula da Silva não ditasse os termos, submetendo os parceiros às pretensões hegemônicas do demiurgo que hoje cumpre pena em Curitiba por corrupção?

Assim, a própria ideia de formação de uma "frente democrática" é, em si, uma farsa lulopetista, destinada a dar ao partido a imagem de vanguarda da luta pela liberdade contra a "ditadura" - nada mais, nada menos - de Jair Bolsonaro. Tudo isso para tentar fazer os eleitores esquecerem que o PT foi o principal responsável pela brutal crise política, econômica e moral que o País ora atravessa - e da qual, nunca é demais dizer, a candidatura Bolsonaro é um dos frutos. Como os eleitores não esqueceram, conforme atestam as pesquisas de intenção de voto que expressam o profundo antipetismo por trás do apoio a Bolsonaro, o PT deflagrou as denúncias de fraude contra o adversário.

O preposto de Lula da Silva na campanha, o candidato Fernando Haddad, chegou até mesmo a mencionar a hipótese de "impugnação" da chapa de Bolsonaro por, segundo ele, promover "essa campanha de difamação tentando fraudar a eleição".

Mais uma vez, o PT pretende manter o País refém de suas manobras ao lançar dúvidas sobre o processo eleitoral, assim como já havia feito quando testou os limites legais e a paciência do eleitorado ao sustentar a candidatura de Lula da Silva. É bom lembrar que, até bem pouco tempo atrás, o partido denunciava, inclusive no exterior, que "eleição sem Lula é fraude".

Tudo isso reafirma, como se ainda fosse necessário, a natureza profundamente autoritária de um partido que não admite oposição, pois se julga dono da verdade e exclusivo intérprete das demandas populares. O clima eleitoral já não é dos melhores, e o PT ainda quer aprofundar essa atmosfera de rancor e medo ao lançar dúvidas sobre a lisura do pleito e da possível vitória de seu oponente.

Nenhuma surpresa: afinal, o PT sempre se fortaleceu na discórdia, sem jamais reconhecer a legitimidade dos oponentes - prepotência que se manifesta agora na presunção de que milhões de eleitores incautos só votaram no adversário do PT porque, ora vejam, foram manipulados fraudulentamente pelo "subterrâneo da internet".

A desculpa do PT agora é o WhatsApp (JOSÉ FUCS/ESTADÃO)

A usina de produção de narrativas do PT parece não ter limite. A narrativa da hora é de que o partido está sendo vítima de uma “guerra suja” travada no WhatsApp e que Bolsonaro só superará Haddad nas urnas por causa da divulgação de fake news. De repente, como se não fosse Ph.D. na propagação de notícias falsas, o PT agora quer posar de Madre Teresa de Calcutá e mostrar seu adversário como o belzebu da campanha.

Com Lula, guia supremo da seita, orientando a campanha petista da prisão, em Curitiba; com a rejeição ao PT e a Haddad batendo recordes e contagiando o País; e com o partido e seu candidato tendo de promover uma repaginação total para poder se apresentar ao público, dizer que o problema todo são as fakenews que circulam pelo WhatsApp só pode ser reflexo do desespero diante da derrota humilhante e iminente. Ou, então, uma forma de preparar o terreno para depois tentar “melar” a eleição. Até agora, a Justiça Eleitoral e o WhatsApp não caíram nessa lorota. Tomara que continue assim. / José Fucs

‘Fake news nos outros é refresco’ (BR18/ESTADÃO)

Em uma campanha acusatória contra Jair Bolsonaro pelo compartilhamento de fake news, a vice de Fernando Haddad, Manuela D’Ávila compartilhou um vídeo em que dois atores, simulando um motorista dirigindo para uma “madame” cheia de preconceitos, divulgam algumas posições já desmentidas por  Bolsonaro. Dentre elas a de que o presidenciável vai acabar com a licença maternidade, com o 13º e que vai “subir o morro atirando em todo mundo”.

Sem citar diretamente o vídeo, Bolsonaro reclamou em seu Twitter: “Quão canalha e cara de pau alguém tem que ser pra se colocar como vítima de fake news enquanto espalha aos quatro cantos que votei contra deficientes, que vou aumentar imposto pra pobre, acabar com bolsa-família, com licença maternidade, 13° salário e mais um monte de mentiras?”

Quão canalha e cara de pau alguém tem que ser pra se colocar como vítima de Fake News enquanto espalha aos quatro cantos que votei contra deficientes, que vou aumentar imposto pra pobre, acabar com bolsa-família, com licença maternidade, 13° salário e mais um monte de mentiras?

 

Fonte: Estadão

7 comentários

  • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

    O que este momento da campanha eleitoral nos mostra?
    Que todas as regras do sistema eleitoral foram quebradas!
    A regra do fundo partidário é uma delas, pois os partidos que confiscaram os maiores valores foram os que menos elegeram seus representantes.
    Espero que isso venha reforçar o pensamento liberal do "17" e, ele muda as regras desse jogo, onde os que estão no poder, são os privilegiados.
    Sei que sou um angustiado, acho que é pelo pouco tempo que me resta, mas gostaria de ver implantado o sistema de voto facultativo, voto distrital puro e, o sistema de recall. Quanto a "dinheiro público" para financiamento de campanha, bem essa aberração, não seria nem falada em público, pois o político morreria de medo em falar de um assunto tão perverso.
    De inicio eu perguntaria, qual a diferença entre dinheiro privado e dinheiro público. Existe diferença?
    Não devemos aceitar discursos com retóricas socialistas.
    Aqui onde moro, houve uma mostra para que serve esse "dinheiro público". Um exército de portadores de bandeiras mal feitas, com panos de má qualidade, escritos com nomes de partidos e seus candidatos. Eles ficavam nas esquinas de maior movimento, um ao lado do outro, o dia todo, movimentando suas bandeiras. Fiquei sabendo por terceiros que eram pagos com R$ 80,00/dia.
    Veja que é um "serviço" que dignifica quem se presta a fazê-lo. Agora, quantos que trabalham, suando para ganhar uma diária menor, no setor produtivo.
    Esse é o Brasil que eu NÃO quero para o futuro !!!

    0
  • Alexandre Freitas Elias Anápolis - GO

    PT quer inelegibilidade de BOLSONARO por propaganda ilegal:

    É muito descaramento desse partido Lesa Pátria. Patrono do maior escândalo de corrupção do Planeta Terra, nunca visto antes na história mundial.

    Insistiram até o último minuto na Candidatura do presidiário Lula. O qual foi investigado exaustivamente na Operação Lava Jato; foi condenado em Primeiro Grau, cuja pena não só foi confirmada em Segundo Grau, como também foi aumentada, nessa instância da Justiça (TRF-4)...

    Mesmo assim, o PT e seus adeptos patrocinou o movimento "Lula Livre"; além, de impetrar vários recursos judiciais, nas Esferas Superiores da Justiça...

    Envolveram até a ONU na defesa desse presidiário, procurando desacreditar as Instituições Brasileiras, "NO GRITO", face à robustez das provas juntadas aos Processos Judiciais.

    Mesmo perdendo todos os Recursos Judiciais, continuam insistindo que a Condenação foi injusta, sem provas; ensaiando um INDULTO para o referido presidiário, no caso de vitória, nas Urnas, no dia 28 de Outubro; ou, vençam no "tapetão", com essa JOGADA de inelegibilidade, pois, como diziam no Primeiro Turno: "HADDAD É LULA, LULA É HADDAD".

    Para o PRESIDIÁRIO LULA, TODAS as Instâncias do Judiciário, com recursos e mais recursos; ONU, OEA... AFINAL, nem o PAPA; nenhum ser humano; nem JESUS CRISTO, seria mais honesto que ele! ?

    Mas, para o Candidato Jair Messias Bolsonaro, ser considerado culpado e ficar inelegível por 08 (oito) anos; BASTA a publicação de uma matéria em um Jornal (cuja isenção jornalística é questionável); levantando "eventuais irregularidades": sem apresentar provas; sem investigação formal das Instituições Competentes; sem denúncia do MP; sem PROCESSO, sem DECISÃO JUDICIAL...

    ? Onde fica o Princípio da Legalidade e o Devido Processo Legal?

    ? Onde fica o Contraditório e a Ampla Defesa?

    ? Onde fica o Princípio da Presunção de Inocência, previsto no art. 5º, LVII da Constituição de 1988, que enuncia: "ninguém será considerado culpado até transito em julgado de sentença penal condenatória".

    ?? "A soberania popular do voto é a grande chave da Democracia".
    Impugnar a candidatura de Jair Messias Bolsonaro ou "derrotá-lo no TAPETÃO", após ser ELEITO no Sufrágio Universal* de 2018, não seria GOLPE?

    * (Sufrágio Universal: Cláusula Pétrea da Constituição da República Federativa do Brasil de 1988).

    ? Onde ficará o Estado Democrático de Direito?

    ?? BRASIL ACIMA DE TUDO, DEUS ACIMA DE TODOS. ?? ? 1?7?

    CEL RR ELIAS (PMGO).

    1
    • GERALDO EMANUEL PRIZONCOROMANDEL - MG

      O STF não tem peito nem moral para tomar qualquer atitude contra a candidatura de Jair Bolsonaro, até porque a fake news é padrão recorrente na redes sociais e o leitor sabe muito bem interpretá-la. Do contrário o STF estaria atraindo para si a responsabilidade de ter criado as condições para uma guerra civil no país. Ou vocês acham que os eleitores de Bolsonaro (70%) concordariam com um segundo turno entre haddad e ciro.

      0
    • ROGERIO MENDES LOPESMORRINHOS - GO

      Que moral o inútil TSE tem pra impugnar uma candidatura depois de absolver a chapa Dilma / Temer da denúncia de financiamento ilícito comprovado da Odebrecht e outras empreiteiras ?

      0
  • Kathllyn Joyce Bernardes Itajaí - SC

    Parabéns pela matéria . #B17

    1
  • Claudia Silveira Vazquez Rio de Janeiro - RJ

    Logo se vê o nível da quadrilha petista . Pessoas inteligentes teriam arranjado uma treta mais convincente ! Mas é PT , né ?! Sempre fazem merda !!

    0
  • Marco Antonio Silva São Paulo - SP

    PTistas... VOCÊS PODEM ENGANAR UM GRUPO DE PESSOAS O TEMPO TODO!!!

    PODE ATÉ ENGANAR A TODOS POR ALGUM TEMPO!!!

    MAS NÃO PODE ENGANAR A TODOS O TEMPO TODO!!!

    A MENTIRA QUE VOCÊS SÃO, TODOS JÁ SABEM!!!

    #BOLSONARO17 !!!

    NÃO SOU ROBÔ!!!
    ESTOU FAZENDO DE GRAÇA!!!
    SOU TRABALHADOR E NÃO SOU VAGABUNDO!!!

    0
  • Vitor Anjos Niterói - RJ

    O PT NÃO PresTa!!!

    0
    • CLáUDIA GLIMAVILACOVA - 00

      PT Não!!!, Errar pode ser humano, mas seguir errando 20 anos seguidos é estupidez.

      0
    • ANA DOYLE -

      Além de ser de um ridículo absoluto, afinal as redes sociais são gratuitas, é um insulto à inteligência dos eleitores. Alguém precisa inventar que o PT fez a coisa errada? Eles vêm destruindo o país ao longo dos anos e a população -- que não é cega pela ideologia ou beneficiada pelos benefícios --, enxerga isso e quer mudança. Se Bolsonaro estivesse praticando fraude eleitoral onde se encaixaria a roubalheira do PT??? O TSE vai também investigar de onde vem o dinheiro da campanha do PT?

      0
  • Agenor Jose Pretto Chapecó - SC

    Fake news só aquelas contra o Bolsonaro, porque aquelas que se referem ao PT, não vi, nem li nenhuma novidade que já não tivesse visto e lido em páginas policiais. É o cúmulo da hipocrisia e é bem a cara do presidiário de Curitiba, que como o PCC, dita ordens de dentro de uma cadeia.

    0