Bolsa de NY tem pior véspera de Natal da história; Vendas generalizadas em Wall Street

Publicado em 24/12/2018 18:22
248 exibições

Os índices Dow Jones e S&P 500, da Bolsa de Nova York, sofreram hoje a maior baixa para uma véspera de Natal desde que seus registros começaram, informa o Valor.

Os analistas atribuem a queda à ameaça de “shutdown” do governo –numa queda de braço entre Donald Trump e os democratas–  e às críticas do presidente dos EUA, via Twitter, ao Fed, o banco central americano.

Notícias de que o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, esteve em conversas com um grupo bancário criado após o “crash” de 1987 deixaram os investidores ainda mais nervosos.

Vendas generalizadas em Wall Street pioram com ação de Mnuchin e drama em DC

(Reuters) - As fortes vendas generalizadas de ações dos EUA pioraram em uma sessão abreviada antes do feriado nesta segunda-feira, depois da decisão do secretário do Tesouro de reunir um grupo de crise e de outros desenvolvimentos políticos abalarem investidores e levaram o S&P 500 à beira de um mercado baixista.

Todos os três principais índices terminaram em baixa de mais de 2 por cento na véspera do Natal. O S&P 500 terminou em queda de 19,8 por cento ante sua máxima de fechamento no dia 20 de setembro, pouco distante do limite de 20 por cento usado tradicionalmente para definir um mercado baixista.

O secretário do Tesouro Steven Mnuchin, ligou para os principais banqueiros dos EUA na véspera, em meio a uma retirada do mercado acionário. Investidores também lidavam com uma paralisação do governo federal e notícias de que Trump discutiu reservadamente a possibilidade de demitir o chairman do Federal Reserve.

“As manchetes que estamos vendo hoje, ontem e durante o final de semana não são boas", disse Vinay Pande, chefe global de estratégias de negociação na UBS Global Wealth Management.

"O mercado está preocupado sobre o que está acontecendo em DC. Diante de uma grande correção do mercado parece que há desarranjo e falta de unidade, e as pessoas não estão falando com um voz, o que eu penso que é desanimador para qualquer um no mercado."

O Dow Jones Industrial Average caiu 2,91 por cento, para 21.792 pontos, o S&P 500 perdeu 2,71 por cento, para 2.351 pontos e o Nasdaq Composite recuou 2,21 por cento, para 6.192 pontos.

Na semana passada, o S&P 500 sofreu sua maior queda percentual desde agosto de 2011, enquanto o Dow teve a maior queda semanal desde outubro de 2008.

Todos os 11 setores do S&P 500 encerram em território negativo nesta segunda-feira, o que significa que eles estão todos no vermelho no acumulado do ano.

Reguladores financeiros dos EUA dizem ao Departamento do Tesouro que não há nada fora do comum nos mercados

WASHINGTON (Reuters) - Reguladores financeiros dos Estados Unidos disseram ao Departamento do Tesouro nesta segunda-feira de que eles não estava vendo nada fora do comum nos mercados financeiros durante as recentes vendas generalizadas, de acordo com uma fonte familiarizada com o assunto.

Em uma conferência telefônica realizada na manhã desta segunda-feira, reguladores também discutiram como eles iriam manter funcionando operações críticas durante a paralisação parcial do governo. A ligação incluiu autoridades do Departamento do Tesouro, do banco central, da reguladora do meracdo de capitais e outros reguladores de bancos e do mercado, de acordo com a fonte.

O secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, disse num comunicado na véspera que ele estava pedindo o encontro de reguladores financeiros para discutir maneiras de garantir "operações normais de mercado".

Trump ataca Fed como "único problema" dos EUA; Tesouro reúne reguladores

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, atacou o Federal Reserve nesta segunda-feira, descrevendo a instituição como o "único problema" da economia dos EUA e autoridades discutiram a volatilidade nos mercados acionários causada, em parte, pela disputa do presidente com o banco central.

Ações caíram na abertura desta segunda-feira em meio a preocupações sobre desaceleração do crescimento econômico, a paralisação do governo e notícias de que Trump discutiu a demissão do chairman do Federal Reserve, Jerome Powell.

Em um tweet que não conseguiu acalmar os mercados sobre a independência do Fed, Trump colocou a culpa por ventos contrários na economia de forma firme nas costas do banco central.

"O único problema que nossa economia tem é o Fed. Eles não tem um sentimento pelo mercado", disse Trump no Twitter.

Trump tem criticado frequentemente o Fed pela elevação dos juros neste ano.

A administração Trump organizou uma conferência telefônica nesta segunda-feira entre os principais reguladores dos EUA para discutir os mercados financeiros, disse o Departamento do Tesouro.

O secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, seria o anfitrião da conferência do Grupo de Trabalho sobre Mercados Financeiros, conhecido coloquialmente como "Plunge Protection team".

A Bloomberg News disse que os reguladores disseram a Mnuchin na conferência que não havia nada de extraordinário nos mercados.

Mnuchin também fez ligações para os principais banqueiros dos EUA na véspera e obteve garantias de que os bancos são capazes de fazer empréstimos, disse o Tesouro.

Se os esforços de Mnuchin de reunir os principais bancos sobre sua saúde financeira e conversar com as autoridades que tipicamente se reúnem para enfrentar uma crise tinham o objetivo de acalmar os mercados, isso não ficou evidente nesta segunda-feira. Wall Street operava no vermelho em uma sessão abreviada antes do feriado de Natal.

Todos os 11 setores do S&P 500 operavam em queda, e todos os 30 componentes do Dow Industrials caíam.

Mas as negociações tinham volume pequeno, com os mercados fechando às 16h (horário de Brasília) antes do feriado de Natal.

Fonte: O Antagonista/Reuters

Nenhum comentário