Negociações comerciais entre EUA e China são finalizadas com expectativas de acordo

Publicado em 09/01/2019 08:16 e atualizado em 09/01/2019 09:18
2322 exibições

LOGO REUTERS

Por Cate Cadell e Michael Martina

PEQUIM (Reuters) - As equipes da China e dos Estados Unidos encerraram nesta quarta-feira as negociações comerciais em Pequim que duraram mais do que o esperado e autoridades disseram que os detalhes serão divulgados em breve, levantando expectativas de que uma guerra comercial em larga escala possa ser evitada.

As discussões foram prorrogadas por um terceiro dia, mostrando "seriedade" de ambos os lados, disse o Ministério das Relações Exteriores da China.

Ted McKinney, subsecretário de agricultura dos EUA para Assuntos Agrícolas Externos e Comerciais, disse que a delegação norte-americana retornará aos EUA ainda nesta quarta-feira após "alguns dias bons".

"Acho que foram bem", disse McKinney sobre as negociações. "Foram boas para nós", disse ele a repórteres no hotel da delegação, sem dar detalhes.

Falando à imprensa, o porta-voz do Ministério da Relações Exteriores chinês, Lu Kang, confirmou que ambos os lados concordaram em prorrogar as negociações além de segunda e terça-feiras, como marcado originalmente.

Questionado se isso significa que as discussões foram difíceis, Lu disse: "Só posso dizer que prorrogar as discussões mostra que os dois lados estavam de fato sérios em conduzir as discussões."

As reuniões desta semana foram as primeiras presenciais desde que os presidentes Donald Trump e Xi Jinping concordaram em dezembro com uma trégua de 90 dias que afetou os mercados financeiros.

Índices da China fecham em alta por expectativa com negociações comerciais e planos de apoio

XANGAI (Reuters) - Os mercados acionários da China fecharam em alta nesta quarta-feira em meio ao otimismo com um acordo comercial entre Estados Unidos e China, e com Pequim encorajando os gastos dos consumidores diante da desaceleração econômica.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, subiu 1 por cento, enquanto o índice de Xangai teve alta de 0,7 por cento.

As equipes da China e dos Estados Unidos encerraram nesta quarta-feira as negociações comerciais em Pequim que duraram mais do que o esperado e autoridades disseram que os detalhes serão divulgados em breve, levantando expectativas de que uma guerra comercial em larga escala possa ser evitada.

As ações da maioria das montadoras chinesas avançaram depois que o vice-presidente da agência de planejamento estatal da China disse que o país vai adotar políticas para impulsionar os gastos domésticos em itens como automóveis e eletrodomésticos.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 1,10 por cento, a 20.427 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 2,27 por cento, a 26.462 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,71 por cento, a 2.544 pontos.

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 1,01 por cento, a 3.078 pontos.

. Em SEUL, o índice KOSPI teve valorização de 1,95 por cento, a 2.064 pontos.

. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou alta de 1,83 por cento, a 9.738 pontos.

. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES valorizou-se 0,78 por cento, a 3.147 pontos.

. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 avançou 0,98 por cento, a 5.778 pontos.

Preços do petróleo sobem mais de 2% com otimismo em relação a negociações dos EUA e China

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo subiram mais de 2 por cento nesta terça-feira, apoiados por esperanças de que a demanda por petróleo possa subir mais rapidamente se os negociadores dos Estados Unidos e da China resolverem a disputa comercial entre as duas maiores economias do mundo.

Os futuros de petróleo dos EUA (WTI) subiram em 1,26 dólar, ou 2,6 por cento, a 49,78 dólares por barril. Durante a sessão, o contrato tocou 49,95 dólares, o maior nível desde 17 de dezembro. Nesta quarta-feira a cotação continua em alta (às 9 hs/BR o petroleo em NYork marcava 50,76 dólares/barril, com alta na sessão desta manhã de mais 2 %).

Os futuros do petróleo Brent subiram 1,39 dólar por barril, ou 2,4 por cento, para 58,72 dólares.

"A situação do comércio é definitivamente otimista; você tem uma boa construção de demanda se conseguirmos fechar este acordo comercial", disse Bob Yawger, diretor de futuros da Mizuho em Nova York.

As negociações estão indo bem até agora e continuarão na quarta-feira, disse o membro da delegação norte-americana Steven Winberg.

Estes são os primeiros encontros presenciais entre autoridades dos dois países desde que o presidente dos EUA, Donald Trump, e o presidente chinês, Xi Jinping, concordaram em dezembro com uma trégua de 90 dias em uma guerra comercial que atingiu os mercados financeiros globais.

Fonte: Reuters

Nenhum comentário