Como consequência da seca, PIB do Paraguai deve ser afetado

Publicado em 15/02/2019 10:34
97 exibições

As condições climáticas adversas no Paraguai podem custar ao país alguns pontos em seu índice de crescimento econômico. Em seu último informe mensal Macro Latam, o banco Itaú reconhece que a seca poderia impactar negativamente na atividade produtiva dos próximos meses e que, em consequência, se observam riscos para a queda de projeção de expansão de 4% do Produto Interno Bruto (PIB) para 2019.

A entidade admite que o impacto da seca na variação do PIB seria limitado, "dado o menor peso do setor primário nas contas nacionais".

Também por efeito da escassez das chuvas, o Itaú recortou sua estimativa de superávit comercial para US$200 milhões, desde os US$700 milhões projetados na estimativa anterior. Se este cálculo for cumprido, o indicar será reduzido em 77% em relação aos US$900 milhões com os quais 2018 encerrou, muito abaixo dos US$1,9 bilhões registrados em 2017.

Para 2020, o Itaú projeta um crescimento econômico de 4%, apoiado em um crescimento regional mais generalizado (Brasil e Argentina). Quanto às finanças públicas, o banco considera que o déficit fiscal representará 1,5% do PIB em 2019 e 2020.

Tradução: Izadora Pimenta

Fonte ElAgro.com.py

Nenhum comentário