Ibovespa ensaia melhora com Embraer entre maiores altas; política e exterior seguem no radar

Publicado em 26/02/2019 12:17
29 exibições

LOGO REUTERS

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa ensaiava melhora nesta terça-feira, tendo Embraer entre as maiores altas em dia de assembleia de acionistas sobre o acordo com a norte-americana Boeing, bem como BR Distribuidora após balanço, mas com o noticiário político-econômico e o exterior ainda no radar.

Às 10:55, o Ibovespa subia 0,11 por cento, a 97.349,21 pontos. O volume financeiro somava cerca de 1,1 bilhão de reais.

Para a equipe da Eleven Financial Research, o mercado brasileiro aparenta um ritmo de espera de aprovações de reformas e também do feriado prolongado, com posições mais cautelosas.

Pesquisa CNT/MDA com avaliações do governo e do desempenho pessoal do presidente Jair Bolsonaro ocupa as atenções às 11h, em um momento no qual o mercado tem preferido posições cautelosas diante da tramitação da reforma da Previdência em meio a uma articulação política ainda cambaleante do governo.

Também sob os holofotes está a sabatina na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) de Roberto Campos Neto, indicado para suceder Ilan Goldfajn na presidência do Banco Central. E reunião no Palácio do Planalto de Bolsonaro com líderes de partidos na Câmara dos Deputados no final do dia.

No exterior, a fala do chairman do Federal Reserve, Jerome Powell, no comitê bancário do Senado dos Estados Unidos na parte da tarde deve ocupar as atenções.

DESTAQUES

- EMBRAER subia 4,3 por cento, após assembleia de acionistas da companhia aprovar acordo em que a empresa vendeu o controle de sua principal divisão para a norte-americana Boeing.

- SUZANO avançava 4,6 por cento, tendo de pano de fundo aumento de preços de celulose de fibra curta nesta semana na China, que analistas veem como um sinal de possível reativação da demanda e re-estocagem após o Ano Novo Chinês. KLABIN subia 2,7 por cento.

- BR DISTRIBUIDORA valorizava-se 1,7 por cento, após divulgar ucro líquido de 1,605 bilhão de reais no quarto trimestre de 2018, alta de 202,3 por cento na comparação com igual período do ano anterior.

- ITAÚ UNIBANCO PN subia 0,1 por cento e BRADESCO PN recuava 0,16 por cento, endossando o viés de alta.

- PETROBRAS PN avançava 0,7 por cento, em sessão de alta dos preços do petróleo no exterior. A petrolífera de controle estatal também divulgou no final da segunda-feira que foram efetivas as medidas tomadas pela companhia em resposta a um vazamento da plataforma P-58, ocorrido no sábado.

- VALE caía 0,5 por cento, tendo no radar que os contratos futuros do minério de ferro na China atingiram o menor nível em mais de três semanas nesta terça-feira, após notícias de que as exportações brasileiras da matéria-prima neste mês ainda superam os embarques de um ano antes.

- CSN perdia 2,3 por cento, em sessão de ajustes, após quatro sessões de alta, período em que as ações acumularam um ganho de quase 29 por cento, impulsionado principalemente por perspectivas favoráveis para o grupo siderúrgico e de mineração em 2019.

Fonte: Reuters

Nenhum comentário