Índices da China têm maior queda em 5 meses em meio a sinais de maior regulação

Publicado em 08/03/2019 09:05
23 exibições

LOGO REUTERS

XANGAI (Reuters) - Os índices acionários da China registraram nesta sexta-feira o pior dia em cinco meses, caindo cerca de 4 por cento, conforme os investidores buscavam realizar lucros em meio a sinais de maior controle regulatório após recente ressurgimento do mercado ter alimentado preocupações com formação de bolhas.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 4 por cento, enquanto o índice de Xangai teve queda de 4,4 por cento.

As perdas foram as maiores desde 11 de outubro, e aconteceram em dia de fortes negociações, com as ações financeiras liderando as perdas.

"O que estamos vendo é realização de lucros após a recente alta. Isso é bastante natural", disse Wen Xunneng, gerente de fundos de hedge de Xangai.

Mas Wen permaneceu otimista em relação às ações chinesas, dizendo "não vejo grande espaço para correção. Muitas oportunidades de fazer dinheiro à frente."

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 2,01 por cento, a 21.025 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 1,91 por cento, a 28.228 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 4,40 por cento, a 2.969 pontos.

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 3,97 por cento, a 3.657 pontos.

. Em SEUL, o índice KOSPI teve desvalorização de 1,31 por cento, a 2.137 pontos.

. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 0,68 por cento, a 1.241 pontos.

. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 1,04 por cento, a 3.195 pontos.

. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 0,96 por cento, a 6.203 pontos.

(Reportagem de Samuel Shen e John Ruwitch)

 

Veja também: 

Exportações da China em fevereiro têm maior queda em 3 anos, surgem temores de "recessão comercial"

Fonte: Reuters

1 comentário

  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    Eu penso que China e EUA estão negociando e não guerreando. Os EUA não tem condições, não se sustenta, de manter o déficit comercial monstruoso com a China, financiando através de importações o crescimento daquele país. Donald Trump diz que quer reduzir o déficit comercial, não comerciar menos, quer que a China também importe mais para diminuir esse déficit. Essa versão não é divulgada na midia que quer demonizar Donald Trump e enaltecer os Chineses. No comércio sob os governos democratas nos EUA, Clinton, Obama, a China ganhou muito dinheiro e o déficit americano aumentou, pois parte dessas importações foram garantidas por titulos da divida pública americana que aumentou muito. Então Trump precisa resolver isso, e quer resolver. Os Chineses aparentemente não querem, pois estiveram em uma grande vantagem até agora. Não custa dizer que mesmo com as tarifas impostas pelo governo americano aos chineses, estes ultimos exportaram mais em valor comparando com o mesmo periodo do ano anterior.

    4