Brasil decide abrir escritório em Jerusalém, não fala em mudança de embaixada

Publicado em 31/03/2019 18:19 e atualizado em 31/03/2019 18:50
46 exibições

BRASÍLIA/JERUSALÉM (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro anunciou neste domingo, durante visita a Israel, a abertura de um escritório em Jerusalém para promoção do comércio, tecnologia e inovação, mas não mencionou a possibilidade de mudança de endereço da embaixada brasileira.

Segundo uma fonte com conhecimento direto do assunto, a delegação brasileira chegou a estudar a classificação da abertura do escritório "como parte de sua embaixada em Israel", mas a fala oficial de Bolsonaro não fez essa menção.

"Agora há pouco tomamos a decisão final, ouvindo inclusive o nosso general Augusto Heleno, ministro de Estado (do Gabinete de Segurança Institucional), em criar aqui, abrir em Jerusalém o escritório de negócios voltado para ciência, tecnologia e inovação", disse Bolsonaro em declaração conjunta ao lado do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu.

Já o premiê israelense afirmou esperar que a medida seja um primeiro passo para a mudança da embaixada brasileira para Jerusalém.

Filho do presidente, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) escreveu no Twitter que esta era a intenção do governo.

"É o 1º passo para a mudança definitiva da embaixada. Vale lembrar que os EUA aprovaram nos anos 90 durante presidência de Bill Clinton essa mudança de embaixada, mas só após nove meses de governo Trump ela foi concluída. Estamos nos rumo certo", disse.

Hoje, a embaixada brasileira está em Tel Aviv, onde estão as representações diplomáticas em Israel de praticamente todos os países.

Tanto Bolsonaro quanto Netanyahu destacaram a assinatura de acordos em suas falas, relacionados a áreas como piscicultura, tecnologia, segurança e agricultura. Bolsonaro também agradeceu a ajuda enviada por Israel para o resgate de vítimas em Brumadinho (MG), onde o rompimento de uma barragem de rejeitos da Vale deixou mais de 200 mortos no fim de janeiro.

Na última quinta-feira, Bolsonaro já havia dito que o governo brasileiro poderia abrir um escritório de negócios em Jerusalém, em vez de transferir a embaixada em Israel para a cidade, como chegou a anunciar mais de uma vez.

O aparente recuo em relação à mudança da embaixada de Tel Aviv para Jerusalém --um assunto sensível na região e que desagrada os países árabes, grandes importadores de carne de aves do Brasil-- vem com a resistência dos militares do governo e da equipe econômica, que teme as consequências para as exportações brasileiras.

Quando ainda no Brasil, Bolsonaro não descartou totalmente a transferência da embaixada ao lembrar que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, levou nove meses para tomar a decisão final de mudar a embaixada norte-americana de Tel Aviv para Jerusalém.

Israel apoia entrada do Brasil na OCDE (em O Antagonista)

Brasil e Israel divulgaram neste domingo a declaração conjunta dos dois países que reafirma os compromissos acordados durante o encontro de Jair Bolsonaro e Binyamin Netanyahu.

No documento, Israel reforçou seu “forte apoio” à entrada do Brasil na OCDE.

Brasil e Israel assinam seis acordos

Além da criação de um escritório de negócios em Jerusalém, Jair Bolsonaro também anunciou neste domingo a assinatura de seis acordos com o governo israelense.

O primeiro trata de cooperação em ciência e tecnologia com o objetivo de “desenvolver, facilitar e maximizar a cooperação entre instituições científicas e tecnológicas de ambos os países”.

Também foi assinado um acordo sobre segurança pública e outro que trata de cooperação em questões relacionadas à defesa.

Um acordo para “explorar serviços aéreos” também foi firmado entre os dois países, além de um memorando na área de cibersegurança e outro que trata da cooperação entre os ministérios da Saúde de Brasil e de Israel.

Netanyahu para Bolsonaro: “Estamos fazendo história”

Em seu discurso na cerimônia de boas-vindas a Jair Bolsonaro, o primeiro-ministro israelense Binyamin Netanyahu disse que os dois estão construindo uma nova etapa nas relações entre Brasil e Israel.

“Meu amigo presidente, nós estamos fazendo história juntos. Quando você assumiu a presidência no último janeiro, nós abrimos uma nova era nas relações Brasil-Israel”, disse em hebraico.

“Esta é a maior delegação brasileira que já veio a Israel e, nos próximos dias, assinaremos diversos acordos entre nós.”

Petrobras participará de leilão de petróleo e gás em Israel, diz ministro israelense

ERUSALÉM (Reuters) - A Petrobras participará do mais recente leilão de Israel para exploração de petróleo e gás offshore, disse o ministro de Energia de Israel neste domingo.

Yuval Steinitz anunciou o acordo no início da visita de quatro dias do presidente Jair Bolsonaro à Israel.

Bolsonaro foi acompanhado em Israel por seu ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, com quem Steinitz afirmou ter se encontrado três semanas atrás.

“Ficou acordado que a Petrobras, que está entre as maiores companhias de energia do mundo ... tomará parte no processo de exploração de petróleo e gás em Israel”, disse Steinitz à Army Radio.

O site de notícias israelense Calcalist havia reportado que um anúncio oficial poderia ser feito durante a visita de Bolsonaro.

A Petrobras não foi encontrada imediatamente para comentar.

Um número de grandes descobertas de gás offshore em águas de Israel e do Mediterrâneo oriental na última década colocou Israel no mapa para grandes empresas de energia.

Israel está leiloando 19 novos blocos offshore a empresas de petróleo e gás. Um leilão anterior gerou propostas de apenas dois grupos de companhias, e o ministro de Energia afirmou esperar maior competição desta vez, uma vez que as condições melhoraram.

A Exxon Mobil Corp, em uma grande mudança de sua política, também está considerando participar do leilão.

Fonte: Reuters

Nenhum comentário