Bolsonaro cita Renca e diz que riquezas serão usadas para bem-estar da população (REUTERS)

Publicado em 12/04/2019 12:57
135 exibições

LOGO REUTERS

(Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro voltou a defender, nesta sexta-feira, a exploração de recursos naturais e citou a Reserva Nacional de Cobre e Associados (Renca), cuja tentativa de extinção pelo governo passado gerou repercussão internacional negativa.

Em discurso durante cerimônia de inauguração do novo aeroporto de Macapá, Bolsonaro disse que as riquezas "que Deus nos deu" serão utilizadas por seu governo para o "bem-estar da população". O presidente já disse diversas vezes que defende uma exploração "racional" da Amazônia.

"A Renca é nossa", afirmou. "Vocês não terão problema com o ministro do Meio Ambiente, nem com o de Minas e Energia, nem com outro qualquer, porque o nosso ministério, pela primeira vez na República, todos se entendem e todos falam a mesma língua: um Brasil melhor para todos nós", disse.

A Renca é uma área de mais de 46 mil quilômetros quadrados criada em 1984 e bloqueadas aos investidores privados, o que significa que só o governo pode conduzir trabalhos de pesquisa geológica para avaliar ocorrências de cobre e minerais associados, de acordo com o Ministério de Minas e Energia.

Após o estabelecimento da reserva, foram criadas reservas indígenas e unidades de conservação de proteção integral e de uso sustentável, que restringem a mineração na área.

Em setembro de 2017, o governo do então presidente Michel Temer emitiu um decreto que extinguia a Renca com a alegação da necessidade de "atrair investimentos para o setor mineral, inclusive para explorar o potencial econômico da região", mas a medida foi desfeita após repercussão negativa entre ambientalistas do Brasil e do exterior.

(Por Pedro Fonseca, no Rio de Janeiro)

Fonte: Reuters

Nenhum comentário