Irã diz ter apreendido petroleiro britânico. Reino Unido responde que captura é inaceitável

Publicado em 20/07/2019 12:28
99 exibições

DUBAI/WASHINGTON (Reuters) - O Irã anunciou a apreensão de um petroleiro britânico no Estreito de Ormuz nesta sexta-feira, mas negou a declaração de Washington de que a Marinha norte-americana teria derrubado um drone iraniano numa área próxima, em mais um dia de aumento de tensões na região do Golfo Árabe. 

O Reino Unido anunciou que buscava com urgência informações sobre o petroleiro Stena Impero, que se dirigia a um porto na Arábia Saudita e mudou sua direção de forma súbita após sua passagem pelo estreito na boca do golfo. 

A agência de notícias estatal IRNA citou uma fonte das Forças Armadas que disse que a embarcação havia desligado seu rastreador, ignorado avisos da Guarda Revolucionária e navegava na direção contrária em uma faixa de trânsito de embarcações. 

"Responderemos de uma maneira considerada robusta e deixemos claro que se essa situação não for resolvida logo haverá sérias consequências", disse o secretário de Relações Exteriores britânico, Jeremy Hunt, a jornalistas. 

Hunt disse que o Reino Unido "não está buscando opções militares, estamos buscando uma maneira diplomática para resolver a situação". 

A Guarda Revolucionária não capturou um segundo petroleiro, o navio de bandeira da Libéria, mas de operação britânica Mesdar, também no golfo, segundo informou a agência de notícias semi-oficial Tasnim, do Irã, citando fontes militares regionais. 

O Mesdar se voltou de maneira brusca para o norte em direção à costa iraniana na tarde de sexta-feira mas depois mudou de curso novamente e se dirigiu para o oeste, oposto ao Irã, de acordo com dados de rastreamento da Refinitiv. 

As relações entre Washington e Teerã pioraram no ano passado quando o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, abandonou um acordo nuclear de 2015 assinado entre potências mundiais e o Irã. Com o acordo, o Irã aceitava restringir trabalhos na área nuclear, há muito encarados pelo Ocidente como uma cobertura para o desenvolvimento de bombas atômicas, em troca da suspensão de sanções. 

Mas as sanções foram restabelecidas, impactando gravemente a economia do Irã. 

Trump disse que conversaria com o Reino Unido sobre a informação da apreensão do petroleiro britânico no golfo. 

O Exército dos Estados Unidos informaram nesta sexta-feira que aeronaves desarmadas de vigilância sobrevoavam o espaço aéreo internacional para monitorar o Estreito de Ormuz e entraram em contato com embarcações dos Estados Unidos na área. 

"Nós temos aeronaves de patrulha operando no espaço aéreo internacional monitorando a situação no Estreito de Ormuz", disse o tenente-coronel Earl Brown, porta-voz do Comando Central dos EUA.

Reino Unido diz que captura de dois navios pelo Irã é inaceitável

  • Jeremy Hunt durante evento em York, no Reino Unido

    • Jeremy Hunt durante evento em York, no Reino Unido 04/07/2019 REUTERS/Peter Powell

    LONDRES (Reuters) - O Reino Unido declarou que a captura de dois navios, um de bandeira britânica e outro de bandeira liberiana, no Estreito de Ormuz é inaceitável, e pediu por liberdade de navegação no Golfo.

    "Estou extremamente preocupado pela apreensão dos dois navios pelas autoridades iranianas no Estreito de Ormuz", disse o secretário de Relações Exteriores britânico, Jeremy Hunt.

    "Irei em breve a uma reunião da COBR (segurança nacional) para rever o que sabemos e o que podemos fazer para rapidamente garantir a liberação das duas embarcações --um navio de bandeira britânica e um navio de bandeira liberiana", afirmou.

    "Essas capturas são inaceitáveis. É essencial que a liberdade de navegação seja mantida e que todos os navios possam se mover segura e livremente na região", acrescentou Hunt.

    Hunt disse ainda que o embaixador do Reino Unido em Teerã está em contato com o Ministério das Relações Exteriores do Irã para resolver a situação, e que os britânicos estão trabalhando de perto com parceiros internacionais.

Reino Unindo diz que Irã pode estar em "caminho perigoso" após apreensão de navio-tanque

LONDRES (Reuters) - O ministro das Relações Exteriores britânico, Jeremy Hunt, disse neste sábado que está preocupado com o fato de o Irã ter tomado um "caminho perigoso" depois da apreensão de um navio-tanque de bandeira britânica na sexta-feira no Estreito de Hormuz.

A agência de notícias Fars, do Irã, informou que o Stena Impero foi levado ao porto de Bander Abbas, que fica de frente para o estreito, após ter informado que o navio-tanque havia se envolvido em um acidente com uma embarcação de pesca iraniana.

"A ação de ontem no Golfo Pérsico mostra sinais preocupantes de que o Irã possa estar escolhendo um caminho perigoso de comportamento ilegal e desestabilizador após a detenção legal em Gibraltar do petróleo com destino à Síria", disse Hunt no Twitter.

"Como eu disse ontem, nossa reação será considerada, mas robusta. Temos tentado encontrar uma maneira de resolver o problema do Grace 1, mas garantiremos a segurança de nossos embarques."

A marinha britânica confiscou o navio-tanque Grace 1, do Irã, em Gibraltar em 4 de julho sob suspeita de contrabando de petróleo para a Síria, em violação das sanções da União Europeia.

Navios e aeronaves militares dos EUA no Mar Arábico
  • Navios e aeronaves militares dos EUA no Mar Arábico 18/07/2019 Dalton Swanbeck/Marinha dos EUA/Divulgação via REUTERS

Fonte: Reuters

0 comentário