Preços do petróleo caem mais de 3% com avanço da Covid-19 e antes de debate nos EUA

Publicado em 29/09/2020 20:50 65 exibições

LOGO REUTERS

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo caíram mais de 3% nesta terça-feira, atingindo o menor nível em duas semanas, em função de preocupações com a demanda por combustíveis em momento em que os Estados Unidos e a Europa lidam com uma nova onda de casos de coronavírus.

Investidores nos mercados de ações e commodities também se mantiveram cautelosos antes do primeiro debate para a eleição presidencial dos Estados Unidos, que reunirá o democrata Joe Biden e o republicano Donald Trump nesta terça.

"A queda do mercado hoje, em geral, acompanhou os declínios nas ações", disse Jim Ritterbusch, presidente da Ritterbusch and Associates em Galena, Illinois.

Em seu penúltimo dia como primeiro contrato, o petróleo Brent para entrega em novembro fechou em queda de 1,40 dólar, ou 3,3%, a 41,03 dólares por barril, enquanto o vencimento mais ativo da referência internacional, para dezembro, recuou 3,1%, para 41,56 dólares o barril.

O petróleo dos EUA (WTI) terminou o dia com baixa de 1,31 dólar, ou 3,2%, cotado a 39,29 dólares/barril.

A queda nas cotações ocorre antes da divulgação de dados de estoque nos EUA pelo Instituto Norte-Americano de Petróleo (API, na sigla em inglês), ainda nesta terça. Na quarta-feira, a Administração de Informação sobre Energia (AIE) revela os dados oficiais, que o mercado acredita que devem apontar para um aumento de 1,6 milhão de barris na última semana.

Wall St interrompe três dias de alta e cai antes de debate presidencial nos EUA

(Reuters) - Wall Street fechou em baixa nesta terça-feira, após uma sequência de três dias de alta, conforme investidores reduziram exposição horas antes do primeiro debate presidencial da campanha deste ano nos Estados Unidos.

Todos os três principais índices de ações dos EUA perderam terreno.

"O debate presidencial de hoje à noite tem o potencial de mover os mercados e os investidores não devem assumir uma posição importante diante disso", disse David Carter, diretor de investimentos da Lenox Wealth Advisors em Nova York. "No momento, os mercados são claramente impulsionados pelos eventos em Washington, seja por estímulo fiscal ou pela eleição presidencial."

Participantes do mercado assistirão ao primeiro confronto direto entre o presidente republicano Donald Trump e o desafiante democrata Joe Biden, em um debate em Cleveland que deve ir ao ar na noite desta terça-feira.

A última pesquisa mostrou Biden liderando nacionalmente e em vários Estados pêndulos --aqueles onde os candidatos não costumam ter maioria nas intenções de voto.

Embora a eleição tenha implicações para diferentes setores --notadamente saúde, energia verde e beneficiários de cortes de impostos corporativos de Trump--, analistas do Goldman Sachs avaliam que uma vitória democrata na Casa Branca e em ambas as câmaras do Congresso seria positiva para os lucros do S&P 500 até 2024.

"Achamos que os mercados podem se sair bem com Trump ou Biden, mas eles precisam saber quem é o vencedor", acrescentou Carter, da Lenox Wealth Advisors. "Mas a preocupação está aumentando sobre ter um vencedor eleitoral claro em novembro devido, em parte, a tantos votos pelo correio, que levarão tempo para serem contabilizados."

Chegado ao fim de setembro e do terceiro trimestre, os principais índices estão a caminho de suas primeiras quedas mensais desde março, quando as paralisações obrigatórias por causa do coronavírus afetaram a economia.

Apesar da perda esperada para setembro, o S&P e o Nasdaq estão em curso de registrar seus melhores dois trimestres consecutivos de altas desde 2009 e 2000, respectivamente.

A presidente da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, apresentou um novo projeto de lei no valor de 2,2 trilhões de dólares para combater os efeitos da Covid-19 proposto pelos democratas da Câmara, sinal de progresso potencial no cabo de guerra partidário sobre o novo pacote de ajuda quase dois meses depois que os benefícios de desemprego de emergência expiraram para milhões de norte-americanos.

O Dow Jones caiu 0,48%, para 27.452,66 pontos, o S&P 500 teve queda de também 0,48%, para 3.335,47 pontos, e o Nasdaq recuou 0,29%, para 11.085,25 pontos.

Fonte:
Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário