Criação de vagas no setor privado dos EUA fica acima do esperado em setembro

Publicado em 30/09/2020 09:52 46 exibições

LOGO REUTERS

WASHINGTON (Reuters) - Os empregadores privados dos Estados Unidos aceleraram as contratações em setembro, mas a redução da assistência financeira do governo norte-americano e o ressurgimento de casos de Covid-19 em algumas partes do país podem desacelerar a recuperação do mercado de trabalho diante da pandemia.

A criação de empregos no setor privado chegou a 749 mil vagas neste mês, mostrou o Relatório Nacional de Emprego da ADP nesta quarta-feira. Os dados de agosto foram revisados para cima para mostrar a criação de 481 mil vagas, ante 428 mil relatadas anteriormente.

Economistas consultados pela Reuters previam que a criação de postos de trabalho saltaria a 650 mil em setembro.

Fortes vendas no varejo e queda do desemprego na Alemanha aumentam esperanças de recuperação

BERLIM (Reuters) - As vendas no varejo da Alemanha saltaram muito mais do que o esperado em agosto e o desemprego ampliou sua queda em setembro, aumentando as esperanças de que os gastos das famílias na maior economia da Europa possam impulsionar uma forte recuperação no terceiro trimestre diante do choque do coronavírus

Os dados positivos, divulgados pelo Escritório Federal de Estatísticas e pelo Escritório do Trabalho da Alemanha nesta quarta-feira, foram divulgados num momento em que os números crescentes de infecção por Covid-19 obscureciam as perspectivas de crescimento para o quarto trimestre.

A chanceler Angela Merkel e o ministro das Finanças do país, Olaf Scholz, lançaram desde março uma série sem precedentes de medidas de resgate e estímulo para ajudar empresas e consumidores a se recuperarem o mais rápido possível da recessão mais profunda já registrada na Alemanha.

Números divulgados pelo Escritório Federal de Estatísticas nesta quarta-feira mostraram que as vendas no varejo da Alemanha saltaram 3,1% no mês em termos reais em agosto, após uma queda revisada para cima de 0,2% em julho. A leitura superou com folga a previsão da Reuters de ganho de apenas 0,5%.

As vendas no varejo avançaram 3,7% em termos reais em relação ao ano anterior, após um salto revisado para cima de 5,0% no mês anterior.

Em comparação com fevereiro, o mês antes de o surto de Covid-19 abalar a Alemanha, as vendas no varejo em agosto tiveram alta de 5,8%, sugerindo que o setor já deixou a crise para trás.

Em outro bom sinal para os gastos das famílias, o desemprego alemão caiu pelo terceiro mês consecutivo em setembro, mostraram dados separados.

O número de pessoas sem trabalho caiu em 8 mil em termos ajustados sazonalmente, para 2,907 milhões, enquanto a taxa de desemprego diminuiu para 6,3%, ante leitura de 6,4% no mês anterior.

O número de pessoas com esquemas de jornada reduzida, o que protegeu o mercado de trabalho do impacto da pandemia, caiu para 4,24 milhões em julho, após atingir um pico em abril de quase 6 milhões.

Atividade industrial da China acelera a um ritmo sólido em setembro com demanda externa

PEQUIM (Reuters) - A atividade industrial da China ampliou o crescimento sólido em setembro, mostraram duas pesquisas, uma vez que o motor de exportações do país sustentou o setor diante da melhora da demanda externa e destacou a recuperação constante da economia após o choque do coronavírus.

O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) oficial subiu a 51,5 em setembro de 51,0 em agosto, segundo dados da Agência Nacional de Estatísticas nesta quarta-feira, permanecendo acima da marca de 50 que separa crescimento de contração pelo sétimo mês.

Analistas esperavam avanço a 51,2.

A pesquisa do Caixin/Markit, também divulgada nesta quarta-feira, pintou um cenário semelhante do setor industrial ganhando força diante da demanda externa mais forte. O PMI de indústria do Caixin/Markit caiu a 53,0 de 53,1 em agosto, mas permanece acima da marca de 50 pelo quinto mês seguido.

O vasto setor industrial da China está retornando aos níveis vistos antes de a pandemia paralisar a economia, conforme a demanda reprimida, a expansão da infraestrutura diante de estímulo e a resiliência das exportações alimentam a recuperação.

O PMI oficial, que se foca principalmente em empresas grandes e estatais, também mostrou que o subíndice para novas encomendas de exportação ficou em 50,8 em setembro, melhorando de 49,1 um mês antes e interrompendo oito meses de declínio.

Os sinais de demanda externa mais forte também estavam presentes no PMI do Caixin/Markit, que foca mais em empresas menores e orientadas para exportação. Sua medida de novas encomendas para exportação cresceu no ritmo mais forte em mais de três anos.

Somando-se à recuperação da demanda da queda provocada pelo coronavírus, o PMI oficial mostrou que a atividade no setor de serviços da China expandiu a um ritmo mais rápido em setembro.

O PMI oficial de serviços da China subiu a 55,9 de 55,2 em agosto.

Fonte:
Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário