Wall St atinge máximas com desaceleração do emprego estimulando apostas de estímulo

Publicado em 04/12/2020 18:58 23 exibições

LOGO REUTERS

Por Lewis Krauskopf

(Reuters) - Os principais índices de Wall Street avançaram para máximas históricas nesta sexta-feira, com dados mostrando um crescimento mais lento no ritmo de criação de postos de trabalho nos Estados Unidos aumentando as expectativas por um novo projeto de lei de alívio fiscal para ajudar a reviver a economia, atingida pelo coronavírus.

As ações denominadas "cíclicas", vistas como particularmente sensíveis à economia, como os segmentos de energia, materiais e industriais, tiveram grande destaque enquanto a maioria dos setores do S&P 500 subia.

Analisado de perto, o relatório do Departamento de Trabalho dos Estados Unidos mostrou que o país criou 245 mil postos de trabalho em novembro, ritmo abaixo da expectativa dos economistas, de 469 mil, e o menor número de empregos criados desde o início da recuperação dos postos, em maio.

O presidente eleito do país, Joe Biden, afirmou que o relatório de empregos "sombrio" desta sexta-feira sinaliza que a recuperação econômica está estagnando e alertou que o "inverno sombrio" que se aproxima iria exacerbar o sofrimento, a menos que o Congresso dos EUA aprove um projeto de lei de alívio ao coronavírus de forma imediata.

"A má notícia do enfraquecimento do quadro de empregos é potencialmente uma boa notícia para os investidores porque significa que o projeto de estímulo tem muito mais probabilidade de ocorrer em um período de tempo bastante curto", disse Ryan Detrick, estrategista sênior de mercado da LPL Financial na Carolina do Norte.

O Dow Jones subiu 0,83%, para 30.218,26 pontos, o S&P 500 ganhou 0,88%, para 3.699,12 pontos, e o Nasdaq teve alta de 0,7%, para 12.464,23 pontos.

O índice do setor de transportes do Dow Jones e o Russell 2000, de empresas de baixa capitalização de mercado também registraram máximas de fechamento.

Fonte:
Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário