Macron associa soja do Brasil a desmatamento da Amazônia; indústria nacional rebate

Publicado em 12/01/2021 20:13 931 exibições

LOGO REUTERS

(Reuters) - O presidente da França, Emmanuel Macron, associou nesta terça-feira a soja do Brasil ao desmatamento da floresta amazônica e defendeu a produção da oleaginosa no continente europeu como alternativa.

Em publicação no Twitter, ele afirmou que "continuar a depender da soja brasileira seria endossar o desmatamento da Amazônia".

"Somos consistentes com as nossas ambições ecológicas, lutamos para produzir soja na Europa!", escreveu ele na rede social.

Em nota, a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) rebateu as críticas de presidente francês afirmando que, "como bem sabe Macron", a soja produzida no bioma amazônico do Brasil é livre de desmatamento desde 2008, graças à Moratória da Soja.

A entidade, que representa as principais tradings de soja no país, ressaltou que a moratória é uma iniciativa internacionalmente reconhecida, que monitora, identifica e bloqueia a aquisição da oleaginosa produzida em área desmatada no bioma, garantindo que existe risco zero do envio de soja de área desmatada (legal ou ilegal) deste bioma para mercados externos.

Além disso, a entidade ainda disse que as declarações do presidente foram utilizadas como justificativa para os subsídios ofertados aos produtores franceses.

"A Abiove lamenta que o presidente da França, Emmanuel Macron, busque justificar sua decisão de subsidiar os agricultores franceses atacando a soja brasileira", afirmou.

Os comentários de Macron vêm em momento em que o governo francês tem feito oposição à atual versão de um acordo comercial entre a União Europeia e o Mercosul, citando preocupações com o desmatamento.

Em dezembro, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse que a França é "o grande problema" para um avanço no acordo entre Mercosul e europeus. Ele também disse que os franceses são concorrentes do país no setor de commodities.

Em 2020, a França comprou 83.458 toneladas em soja do Brasil, abaixo de países europeus como a Espanha (2,8 milhões de toneladas), segundo informações do sistema Agrostat, compiladas pelo Ministério da Agricultura. A China, principal compradora, adquiriu 60,6 milhões de toneladas.

Fonte:
Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

1 comentário

  • Gilberto Rossetto Brianorte - MT

    Quando é que o Brasil vai retaliar, abrindo as portas para que as empresas francesas se retirem do Brasil: Pegeout, Citroen, Renaut, Atacadão, Pão de Açucar, só prá lembrar algumas?... Na hora que essas empresas receberem cartão vermelho do Brasil, a conta vai cair no colo de Macron e seus eleitores.

    3
    • elaine aparecida carvalho grade mancini Cambé - PR

      Muito bem lembrado. Mas basta os brasileiros boicotarem estas empresas. É o que faço...

      2
    • Hilario Bussolaro Cascavel - PR

      O povo brasileiro que tem que acordar e começar a retaliar os grandes bandidos ... globo e demais ... e parar de brigar por políticos... os políticos passam, a pátria fica, o povo fica... isso é que é importante ... esta mais que na hora de mandar os franceses para casa...

      2
    • carlo meloni sao paulo - SP

      A BALANÇA COMERCIAL E' FAVORAVEL A FRANÇA EM 1,5 BILHOES DE DOLARES---DEVERIAMOS APROVEITAR AS CRITICAS PARA CORTAR VINHOS QUEIJOS E GELEIAS IMPORTADAS...

      0