Bolsonaro admite possibilidade de se vacinar contra a covid-19; Pode receber imunizante “lá na frente”

Publicado em 06/03/2021 07:40 e atualizado em 07/03/2021 15:09 460 exibições
Presidente lamenta mortes por covid; Diz ser preciso “enfrentar” o problema; Fala representa mudança de discurso (no Poder360)

O presidente Jair Bolsonaro disse nessa 6ª feira (5.mar.2021) que “lá na frente” pode se vacinar contra a covid-19. A fala representa uma mudança no discurso do presidente, que em diversas ocasiões afirmou que não tomaria o imunizante.

“No meu caso, o pessoal fica perturbando ‘tome a vacina’. O que é vacina? Não é um vírus morto? Eu já tive o vírus vivo. Então estou imunizado. Deixa outro tomar a vacina no meu lugar. Lá na frente, depois de todo mundo, se eu resolver tomar, porque no que depender de mim é voluntário, não pode obrigar ninguém a tomar vacina, eu tomarei”, declarou em conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada.

Foco do Brasil gravou o encontro e publicou em seu canal do YouTube.

Bolsonaro foi diagnosticado com covid-19 em julho de 2020. Ainda não se sabe quanto tempo duram os anticorpos no organismo depois da contaminação com o coronavírus.

O Brasil vacinou pelo menos 7.858.792 pessoas com a 1ª dose de imunizantes contra o coronavírus até as 17h30 desta 6ª feira (5.mar). Ou seja, 3,7% da população.

Na conversa com os apoiadores, Bolsonaro lamentou as mortes por covid-19 no Brasil. Com mais 1.800 vítimas nessa 6ª feira (5.mar), a média de mortes pela doença teve pico pelo 10º dia.

O país tem registrado número elevado de mortes confirmadas a cada dia. Na 5ª feira (4.mar), foram 1.699. Na 4ª feira (3.mar), foram 1.910 –maior quantidade já registrada em 24 horas desde o início da pandemia.

O Brasil acumula 10.869.227 casos e 262.770 mortes por covid-19 até 17h30 de 6ª feira (5.mar)

“A gente lamenta as mortes, mas você tem que enfrentar o problema. Repito, lamento as mortes, mas tem que enfrentar o problema. Não tem como fugir dele, o vírus está aí”, falou Bolsonaro.

O presidente voltou a criticar as medidas de restrição impostas por prefeitos e governadores.

“Hoje em dia com essa historinha de ‘fique em casa, a economia a gente vê depois’.,e  alguns governadores mandando os policiais reprimirem usando, em alguns Estados, violência,... o cara não tem como ganhar a vida dele. Vai ganhar como? Como é que vai levar o pão para casa? Imagine um cara casado. É comum o pobre ter 3, 4 filhos, é comum. Eu sou classe média e tive 5”.

Bolsonaro se reúne com comitiva que irá a Israel por spray nasal anticovid

Desta vez não citou o remédio; Será para compartilhar tecnologia (no Poder360)

O presidente Bolsonaro apresentou neste sábado (6.mar.2021) a comitiva que irá a Israel para discutir o compartilhamento de tecnologias de combate à pandemia. Assista (2min39):

 

O grupo parte ainda neste sábado (6.mar). Na 3ª feira (2.mar), ao anunciar a viagem da comitiva, o presidente afirmou que o grupo negociaria a realização da fase 3 de testes de um spray nasal contra a covid-19.

Na ocasião, ele afirmou: “Como é para ser usado em quem está hospitalizado, em quem está em UTI, não acho que tenha problema nenhum usar esse spray no nariz do cara. O que é esse spray? Não sei. Mas esse produto estava sendo, há 10 anos, estudado em Israel para combater outro tipo de vírus”. E depois acrescentou: “Parece até que é um produto milagroso. Parece”.

O MEDICAMENTO

A droga citada por Bolsonaro ficou conhecida depois que pesquisadores do Ichilov Hospital, em Tel Aviv, Israel, afirmarem que a substância foi eficiente no tratamento contra o covid em 29 de 30 pacientes. Os cientistas disseram que o remédio, desenvolvido por Nadir Arber, do Centro Integrado de Prevenção do Câncer, seria capaz de curar os enfermos em 5 dias.

No entanto, o estudo conduzido no país foi preliminar e não comparou a droga a um placebo. Também não esclareceu a idade dos envolvidos no experimento.

A COMITIVA

Os membros da comitiva que visitará Israel são:

  • Ernesto Araújo, ministro das Relações Exteriores;
  • Deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP);
  • Deputado Federal Hélio Lopes (PSL-RJ);
  • Fábio Wajngarten, Ministério das Comunicações;
  • Filipe Martins, assessor da presidência da República;
  • Embaixador Kenneth Félix Haczynski da Nóbrega;
  • Hélio Angotti Neto, do Ministério da Saúde;
  • Marcelo Marcos Morales, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação;
  • Max Guilherme Machado de Moura, da Presidência da República e
  • Pedro Paranhos, do Ministério das Relações Exteriores.
Fonte:
Poder360

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário