Netflix perde US$ 18 bilhões em valor de mercado nesta 4ª feira; Alta de usuários aquém do esperado

Publicado em 21/04/2021 19:30 380 exibições

Netflix, gigante de streaming e produtora cinematográfica, perdeu US$ 18 bilhões (ou R$ 100,25 bilhões) em valor de mercado nesta 4ª feira (21.abr.2021). A queda foi registrada depois que a empresa não alcançou a meta de 210 milhões de usuários na plataforma, como consta no balanço financeiro de 3ª feira (20.abr.2021). Eis a íntegra (353 KB).

Considerando os últimos 2 dias de negociações, a empresa perdeu US$ 20,2 bilhões

Houve grande desaceleração na adição de novos inscritos. Foram 3,98 milhões de novos assinantes no mundo, contra 6,2 milhões esperados. Ao final do trimestre, a plataforma tinha 207,6 milhões de usuários. O número representa alta de 14% na comparação anual, mas está abaixo dos 210 milhões que a empresa projetava.

No 1º trimestre de 2020, o número de usuários aumentou em 16 milhões. No 4º trimestre de 2020, subiu 8,5 milhões. Agora, no último resultado, alcançou nem a metade do trimestre anterior. Os resultados mostram que a quantidade de pagantes da plataforma tem desacelerado.

A companhia teve lucro líquido de R$ 1,7 bilhão no 1º trimestre de 2021, o que representa um salto de 141,2% em comparação com o mesmo período de 2020.

As ações da empresa caíram 7,4% nesta 4ª feira (21.abr.2021). Chegaram a tombar 8,39% na mínima do dia, com perda de US$ 20,2 bilhões (ou R$ 112,51 bilhões) em valor de mercado. Hoje, a empresa vale US$ 225,4 bilhões.

A plataforma culpou a pandemia de covid-19 pela queda nas assinaturas. Nesse período, houve atraso de novos programas e filmes na plataforma.

“Os eventos extraordinários da covid tiveram um grande impacto no mundo, e continua a ter. E para nós, no mínimo, cria apenas algum tipo de instabilidade em algumas das tendências de negócios que vemos na Netflix”, afirmou Spencer Neumann, o chefe financeiro da empresa.

Neste documento (382 KB), a Netflix minimizou a entrada da recém plataforma Disney Plus. Citou que a televisão e o YouTube são os principais concorrentes.

A empresa aposta em aceleração do número de usuários no 1º semestre depois de novas temporadas de séries importantes, como “You“, “The Witcher” e “Sex Education“.

Senadores dos EUA questionam Apple e Google sobre domínio lojas de aplicativos

WASHINGTON (Reuters) - Um painel de senadores norte-americanos questionou executivos da Apple e do Google nesta quarta-feira sobre a dominância de suas lojas de aplicativos e se as companhias abusam de seus poderes às custas de competidores menores.

Amy Klobuchar, principal senadora democrata em questões antitruste, disse que Apple e Google podem usar seus poderes para "excluir ou suprimir aplicativos que estejam competindo com seus próprios produtos" e "cobrar taxas excessivas que afetam a competição no setor de lojas de aplicativos".

A audiência acontece um dia após a Apple dizer que começaria a vender AirTags - que podem ser aplicados em itens como chaves de carros para ajudar usuários a encontrá-los casos sejam perdido - em competição direta com a Tile, que vende um dispositivo de rastreamento semelhante há mais de uma década.

Antes da audiência, Klobuchar disse à Reuters que o anúncio é o tipo de conduta que o painel planejava discutir.

A Apple diz que seus AirTags são uma consequência de seu aplicativo "FindMy", usado para localizar dispositivos da Apple perdidos e compartilhar localizações dos usuários.

No mês passado, a Apple abriu seu sistema operacional para outros serviços rastreadores de itens e disse que a Chipolo, startup que compete tanto com a Tile quanto com os novos AirTags da Apple, está utilizando o sistema.

O diretor de compliance da Apple, Kyle Andeer, testemunhou na audiência assim como Kirsten Daru, conselheira geral da Tile.

Daru disse que o programa FindMy da Apple é instalado como parte padrão do sistema operacional de todos os telefones da Apple, e não pode ser deletado.

"A Apple mais uma vez explorou seu poder e dominância de mercado para condicionar o acesso dos nossos consumidores a dados e efetivamente romper a experiência dos nossos usuários, direcionando-os ao FindMy", disse.

Outros na lista de testemunhas incluem o diretor sênior de Assuntos Governamentai do Google, Wilson White, o diretor jurídico do Spotify, Horacio Gutierrez, e o diretor jurídico do Match, Jared Sine.

Desenvolvedores de aplicativos como o Spotify e o serviço de encontros Match, dono do Tinder, há muito reclamam que o compartilhamento obrigatório de receita e as regras rígidas de inclusão definidas pela App Store da Apple para iPhones e iPads, além das exigências da Google Play para dispositivos Android, são um comportamento anti-competitivo.

Sine, da Match, disse que Google e Apple oneram 30% de qualquer transação digital, elevando preços para consumidores. A Match paga cerca de 500 milhões de dólares em taxas à loja de aplicativos anualmente, a maior despesa única da empresa.

CEO da Epic Games e diretor da Apple estarão em julgamento antitruste em maio

LOGO REUTERS

(Reuters) - O presidente-executivo da Epic Games, Tim Sweeney, vai comparecer ao julgamento do processo antitruste contra a Apple, enquanto o diretor de App Store da fabricante do iPhone, Phil Schiller, também estará presente, afirmaram advogados para ambas as empresas nesta quarta-feira.

Nenhuma câmera será permitida no julgamento que começa em 3 de maio em Oakland, na Califórnia, entre a criadora do jogo "Fortnite" e a Apple, afirmou a juíza norte-americana Yvonne Gonzalez Rogers numa conferência anterior ao julgamento.

A Epic implementou no ano passado seu próprio sistema de pagamento dentro do aplicativo nos iPhones para evitar taxas da Apple, uma violação das regras da loja de aplicativos da Apple, a Apple App Store.

A Apple então removeu aplicativos da Epic de sua loja, incluindo o Fortnite. Depois disso, a Epic abriu um processo antitruste alegando que a Apple abusa de sua dominância no mercado de aplicativos para celulares.

Uma transmissão em áudio será disponibilizada ao público, que terá acesso às exposições apresentadas durante o julgamento, disse a magistrada. Apenas um membro da imprensa poderá monitorar o julgamento do tribunal.

Índices de Wall Street reagem após dois dias de perdas

LOGO REUTERS

NOVA YORK/BANGALORE (Reuters) - Wall Street se recuperou nesta quarta-feira após um declínio de dois dias, uma vez quea busca por ações de empresas que tendem a se beneficiar de uma economia em recuperação compensou a queda da Netflix após resultados decepcionantes na véspera.

As ações da Netflix caíram 7,4% depois que o maior serviço de streaming do mundo disse que a produção mais lenta de programas de TV e filmes durante a pandemia prejudicou o crescimento de assinantes no primeiro trimestre.

O Intuitive Surgical subiu 9,9%, à medida que seus resultados superaram as estimativas. "Tirando o Netflix da equação de hoje, é simplesmente um rali de base ampla", disse JJ Kinahan, estrategista-chefe de mercado da TD Ameritrade, acrescentando que as ações de tecnologia ainda têm espaço para disputar.

Analistas esperam que as empresas do S&P 500 registrem um crescimento nos lucros do primeiro trimestre de 30,9% em relação ao ano anterior, mostraram dados do Refinitiv IBES.

Os resultados da Netflix frustraram as expectativas, mas a tecnologia continua sendo o principal foco do mercado.

"Os investidores se sentem mais confiantes nas perspectivas de crescimento dos lucros para tecnologia", disse Sam Stovall, estrategista-chefe de investimentos da CFRA Research. "Eles preferem gravitar em torno da coisa certa, que agora são as ações de tecnologia."

O Nasdaq Composite subiu 1,19% a 13.950 pontos. O Dow Jones avançou 0,93% para 34.137 pontos, enquanto o S&P 500 ganhou 0,93% para 4.173 pontos.

Verizon caiu 0,4% depois de perder mais assinantes sem fio do que o esperado no primeiro trimestre. As ações da T-Mobile e AT&T subiram.

Fonte:
Poder360/Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário