Ucrânia diz ter contido mais recente ataque russo no leste do país

Publicado em 23/05/2022 09:30

Logotipo Reuters

Por Pavel Polityuk

KIEV/MARIUPOL (Reuters) - A Ucrânia disse nesta segunda-feira que afastou o mais recente ataque a uma cidade do leste que se tornou o principal alvo da ofensiva da Rússia desde que as forças russas finalmente tomaram Mariupol na semana passada.

As forças russas tentaram invadir Sievierodonetsk, mas não tiveram sucesso e recuaram, disse o gabinete do presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy.

A cidade, às margens do rio Siverskiy Donets, tem sido o principal alvo russo nos últimos dias, enquanto Moscou tenta cercar as forças ucranianas no leste e capturar totalmente as províncias de Luhansk e Donetsk.

Em Mariupol, onde centenas de combatentes ucranianos depuseram as armas na semana passada após um cerco de quase três meses, equipes russas de limpeza de minas estavam vasculhando as ruínas da gigante siderúrgica de Azovstal.

Um enorme trator blindado pintado com uma letra branca "Z", que se tornou o símbolo do ataque da Rússia, empurrou os destroços para o lado enquanto um pequeno grupo de soldados abria caminho entre os destroços com detectores de metal.

"A tarefa é enorme. O inimigo plantou suas próprias minas terrestres, nós também plantamos minas antipessoal enquanto bloqueávamos o inimigo. Portanto, temos cerca de duas semanas de trabalho pela frente", disse um soldado russo, sob o nome de guerra Babai.

"Nos últimos dois dias, mais de cem explosivos foram destruídos. O trabalho continua."

Um assessor do prefeito ucraniano de Mariupol, que opera fora da cidade agora inteiramente controlada pelos russos, disse que os moradores restantes correm o risco de doenças, já que os esgotos transbordam em meio às ruínas. A Ucrânia acredita que dezenas de milhares de pessoas morreram no cerco da cidade de mais de 400.000 pessoas.

"Mariupol precisa de outra retirada de moradores devido à crescente ameaça de uma epidemia", escreveu Petro Andryushchenko no Telegram. "As consequências de transformar Mariupol em um gueto serão catastróficas. A ameaça de uma epidemia se torna realidade a cada tempestade."

Sirenes de ataques aéreos soaram na Ucrânia na manhã de segunda-feira, em alarme diário antes dos ataques das forças russas no leste e sul do país, três meses após a invasão da Rússia em 24 de fevereiro no que Moscou afirma ser uma operação especial para "desnazificar" o país.

A Rússia tem concentrado sua "operação militar especial" no leste desde que suas tropas foram expulsas da área ao redor da capital Kiev e do norte do país no final de março.

Desde o mês passado, Moscou disse que seu principal esforço é capturar todas as províncias de Donetsk e Luhansk, conhecidas como Donbas, que a Rússia reivindica em nome de separatistas pró-Moscou.

Fonte:
Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário