Bovespa valoriza 1,16%; dólar cai pelo quarto dia e fecha a R$ 1,61

Publicado em 21/08/2008 17:52 2394 exibições

O dólar comercial foi cotado a R$ 1,611 na venda, com retração de 0,55% sobre a taxa final de ontem. Nas casas de câmbio paulistas, o dólar turismo foi negociado a R$ 1,730, em baixa de 0,57%.

A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) valoriza 1,16% e atinge os 56.020 pontos. O giro financeiro é de R$ 4,15 bilhões.

Os preços da moeda americana declinaram pelo quarto dia, numa sessão de negócios em que a Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) busca o seu terceiro dia de recuperação, em sintonia com fortes ajustes nos preços das commodities. No mercado internacional, o euro também se fortaleceu contra o dólar, indo de US$ 1,4741 para US$ 1,4870 nesta quinta-feira.

Entre as principais notícias do dia, o Banco Central revelou números sobre as transações externas do país que vieram um pouco melhor do que o previsto: o déficit de transações correntes atingiu US$ 2,11 bilhões em julho, ante projeções de US$ 2,8 bilhões dos economistas do setor financeiro. O volume de investimentos estrangeiros alcançou US$ 3,2 bilhões, em linha com as estimativas do mercado.

O BC também detectou um aumento das apostas do setor bancário na valorização da moeda americana. A posição comprada dos bancos -- em que o investidor ganha quando a taxa de câmbio sobe-- passou de US$ 2,987 bilhões em julho para US$ 6,067 bilhões até o dia 19 de agosto.

Profissionais de corretoras vêem limites restritos para o fortalecimento do dólar, lembrando o diferencial de juros brasileiros (13% ao ano) e americanos (2%), o que tende a pressionar a cotação.

Em seu leilão diário de câmbio, o BC entrou no mercado por volta das 15h35 e aceitou ofertas por R$ 1,6120 (taxa de corte).

Juros futuros

O mercado futuro de juros, que serve de referência para as tesourarias de bancos, voltou a ajustar para cima as taxas projetadas. Os agentes financeiros aguardam a divulgação do IPCA-15 relativo ao mês de agosto. As projeções de corretoras oscilam entre 0,38% e 0,40%. O IPCA-15 é considerado como uma prévia do índice oficial de preços para o regime de metas de inflação.

No contrato de janeiro de 2009, a taxa projetada passou de 13,81% ao ano para 13,83%; no contrato de janeiro de 2010, a taxa projetada avançou de 14,62% para 14,66%; e no contrato de janeiro de 2011, a taxa projetada subiu de 14,27% para 14,28%.

 

Fonte: Folha Online

Fonte:
Folha Online

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário