Bovespa fecha em alta de 1,79%, puxada por ações da Vale

Publicado em 01/02/2010 18:29 761 exibições

Os investidores fizeram uma pausa no movimento de realização de lucros (venda de ações muito "caras") visto ao longo do mês passado para estrear fevereiro em tom mais positivo. As ações da Vale puxaram o mercado brasileiro de ações, em um dia de recuperação dos preços das commodities metálicas. Números um pouco mais favoráveis nos EUA também ajudaram no processo. E a taxa de câmbio finalmente cedeu, após nove dias consecutivos de alta.

O Ibovespa, principal índice de ações da Bolsa paulista, avançou 1,79% no fechamento, aos 66.571 pontos. O giro financeiro foi de R$ 5,7 bilhões. Ainda aberta, a Bolsa de Nova York ascende 1,1,08%.

A ação preferencial da Vale sozinha movimentou R$ 709 milhões em negócios, valorizando 3,46% no dia. A ação ordinária subiu 3,02%, com negócios de R$ 132 milhões.

O dólar comercial foi cotado por R$ 1,861, em um decréscimo de 1,27%. A taxa de risco-país marca 230 pontos, número 1,30% abaixo da pontuação anterior.

Entre as principais notícias do dia, o Departamento de Comércio dos EUA informou que a renda pessoal e os gastos dos americanos cresceram no último mês de 2009. O nível de renda teve expansão de 0,4%, acima das projeções de Wall Street (consenso em 0,3%), enquanto o nível de gastos aumentou 0,2%, abaixo das estimativas de boa parte dos economistas (0,3%).

A entidade privada ISM (Instituto de Gestão de Oferta, na sigla em inglês) registrou o sexto aumento consecutivo no nível de atividade do setor manufatureiro. O índice elaborado por esse instituto teve leitura de 58,4 pontos em janeiro, ante 54,9 em dezembro. Pela metodologia dessa pesquisa, uma sondagem que aponte um índice acima de 50 pontos significa que o setor examinado está em expansão.

Ainda no front externo, uma pesquisa do banco HSBC apontou expansão recorde setor manufatureiro na China. Uma das principais preocupações que afetam o ambiente de negócios nas últimas semanas é o temor de que Pequim adote uma nova rodada de medidas para conter o crescimento, afetando o ritmo de recuperação global e derrubando os preços das commodities (matérias-primas), já que o país é um dos maiores importadores mundiais.

No Brasil, o boletim Focus, do Banco Central, revelou que boa parte dos economistas no setor financeiro elevou para cima suas estimas para a inflação e o crescimento do país. O IPCA projetado para 2010 foi elevado para 4,62%, acima da meta do governo para o ano. Em relação ao PIB, a taxa de crescimento prevista foi ajustada de 5,3% para 5,35%.

O mercado subiu ainda a previsão para o dólar no fim deste ano, de R$ 1,75 para R$ 1,76.

Empresas

Maior grupo do setor sucroalcooleiro do país, a Cosan anunciou hoje a assinatura de um memorando de entendimentos com a Shell para a união das operações açúcar, etanol, distribuição de combustíveis e pesquisa de desenvolvimento. A ação ordinária disparou 1,70% no pregão.

O Banco do Brasil informou hoje que uma revisão das contas em sua área previdenciária gerou um impacto positivo de R$ 1,6 bilhão, que deverá ser embutido no balanço do quarto trimestre de 2009. A ação ordinária do banco teve ganho de 6,76%.

Indicações para fevereiro

A ação preferencial da Vale é o principal denominador comum entre as recomendações de portfólio das corretoras Brascan, Ativa, Link e Planner para o mês de fevereiro. "Apesar de um combalido setor siderúrgico global, a China vem puxando as importações do produto com números realmente impressionantes (...). Além disso, as perspectivas de incremento na oferta mundial de minério de ferro ainda são bastante limitadas", avalia a equipe de análise da Brascan.

Os profissionais dessa corretora apontam ainda Usiminas, CPFL, Cemig, AES Tietê, AmBev, MRV, Rossi Residencial, Marcopolo e Totvs como empresas cujos papéis o investidor deveria considerar ter em carteira no mês de fevereiro.

A Link Investimentos sugere, além de Vale e AES Tietê, coincidindo com a Brascan, as ações das empresas BM&F-Bovespa, CCR, Itaú-Unibanco, Lojas Americanas, Marfrig, Net, Petrobras e Suzano.

Net e Itaú-Unibanco também são as indicações da Ativa Corretora para o mês corrente, além das ações de BR Malls e Randon. A carteira sugerida da Planner comporta algumas ações já presentes nas indicadores anteriores: além dos papéis da Vale, também há espaço para Petrobras, Gerdau, BicBanco, CPFL, Multiplan, Gafisa, Duratex, Gol e OHL Brasil.

Fonte:
Folha Online

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário