RS: Bndes muda regra para produtores endividados

Publicado em 04/02/2010 07:43 732 exibições
Coutinho comprometeu-se a alterar norma que proibia novo empréstimo
O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes), Luciano Coutinho, comprometeu-se a alterar, possivelmente já na próxima semana, uma circular interna da instituição que impede a tomada de crédito por produtores rurais que já tenham dívidas com agentes financeiros. A informação foi divulgada por representantes da Frente Parlamentar do Agronegócio no Congresso Nacional e de produtores rurais, que estiveram reunidos com Coutinho nesta quarta-feira para tratar do tema.

A circular que será alterada, segundo os participantes do encontro, é a de número 6, do ano passado, que normatizou resolução do Bndes, impedindo a renegociação de operações que já tinham sido renegociadas. "Isso deu uma engessada nos financiamentos, pois nenhum produtor conseguiu renegociar suas dívidas", comentou o senador Gilberto Goelner (DEM-MT). "A mudança, que deve ocorrer na semana que vem, não resolve o problema de todos, mas alivia alguns", acrescentou o deputado Luís Carlos Heinze (PP-RS).

Apesar de os produtores quererem uma solução para toda a dívida do setor, o principal tema do encontro foi o Financiamento da Agricultura Mecanizada (Finame Rural). O problema é que nenhuma instituição sabe dizer ao certo qual o valor do endividamento total do setor e o numero de agricultores com pendências. "Estamos vendo a esterilização da capacidade da agricultura e estamos atrás desses dados", disse Heinze. De acordo com ele, o Banco Central e o Bndes se prontificaram a levantar os dados.

Depois de reuniões no Bndes, no Ministério da Agricultura e no Banco do Brasil, os representantes do setor querem também expor suas dificuldades para o Ministério da Fazenda. "Queremos uma ação sincronizada de governo", afirmou Goelner. Para essa etapa, a participação de Coutinho é vista como fundamental. "O presidente do banco é o articulador do repasse dos recursos e agora também pode ser, na busca de soluções", disse o presidente da Associação dos Produtores de Soja do Estado do Mato Grosso (Aprosoja), Glauber Silveira da Silva.
Fonte:
Jornal do Comércio

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário