Obama pede para chineses flexibilizarem o yuan

Publicado em 11/03/2010 15:37 402 exibições

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu nesta quinta-feira aos chineses que permitam uma maior flexibilização da cotação do yuan.

"Se a China se mover em direção a um tipo de câmbio mais de acordo com os mercados representaria uma contribuição essencial aos esforços globais para reequilibrar a economia", disse Obama no discurso onde apresentou uma plano para dobrar as exportações americanas em cinco anos.

O presidente americano mencionou essa meta comercial pela primeira vez no discurso de Estado da União, em janeiro. Porém, para cumpri-la, será fundamental a "contribuição" chinesa em relação ao seu câmbio.

Com o yuan desvalorizado, a China consegue manter a competitividade dos exportadores do país. Porém, os demais países --em especial os EUA e os membros da União Europeia-- dizem que a manutenção dessa política de câmbio pelos chineses distorce o comércio global.

No mês passado, Obama já havia dito que previa "negociações muito duras" neste ano com a China em relação ao yuan.

Apesar das reclamações, a China mantém sua moeda fixa em relação ao dólar desde julho de 2008.

Para conseguir bater a meta de dobrar as exportações, os americanos terão que fazer suas vendas externas terem um crescimento de aproximadamente 15% ao ano. Seria mais do que o dobro dos 6% previstos pela OMC (Organização Mundial do Comércio) para o crescimento do comércio exterior em todo o mundo.

Fonte:
France Presse

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário