Bolsas americanas terminam em nível mais alto em um ano e meio

Publicado em 23/03/2010 18:39 425 exibições

A Bolsa de Nova York fechou nesta terça-feira em seus níveis mais altos em um ano e meio, estimulados por um indicador imobiliário nos Estados Unidos menor do que o previsto: o Dow Jones ganhou 0,95% e o Nasdaq, 0,83%.

Segundo cifras definitivas no fechamento, o Dow Jones Industrial Average subiu 102,94 pontos a 10.888,83 unidades e o Nasdaq, de alto componente tecnológico, subiu 19,84 pontos a 2.415,24.

O índice ampliado Standard & Poor's 500 aumentou, por sua vez, 0,72% (8,36 pontos), a 1.174,17 pontos.

O Dow Jones e o S&P terminam em seu teto desde o dia 26 de setembro de 2008, e o Nasdaq desde 18 de agosto de 2009.

"É a mesma alta que vemos há várias semanas", afirmou Mace Blicksilver, da Marblehead Asset Management. "O que acontece principalmente é que há poucas vendas, o volume de operações é baixo e, consequentemente, para comprar uma ação é preciso pagar mais".

O impulso veio da divulgação de um indicador econômico sobre o mercado imobiliário americano, setor que originou a crise financeira de 2008 e que continua em baixa após três anos.

As vendas de casas usadas baixaram 0,6% em fevereiro em relação ao mês anterior, um pouco menos que o previsto pelos analistas, segundo os números publicados nesta terça-feira pela NAR (Associação Nacional de Agentes Imobiliários Americanos, na sigla em inglês).

"As notícias do dia não são de natureza a modificar os índices: as revendas de casas estão em baixa pelo terceiro mês consecutivo, mas são melhores que o previsto. Com um dia assim, é uma boa notícia que não estejamos em baixa", disse Art Hogan, da Jefferies. "Tivemos uma boa alta nas últimas semanas e o mercado se mantém", acrescentou. "O mercado não abandona seus lucros, é um bom sinal".

O mercado de obrigações caiu. O rendimento do bônus do Tesouro a 10 anos ganhou 3,680% contra 3,663% na noite de segunda-feira e o dos títulos a 30 anos, 4,598% contra 4,569%. O rendimento das obrigações evolui em sentido contrário ao de seus preços.

Fonte:
Folha Online

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário