Anúncio sobre Portugal leva o euro para menor patamar em um ano

Publicado em 05/05/2010 14:28 e atualizado em 05/05/2010 15:09 293 exibições
Mais um dia de tensão nos mercados mundiais. Os investidores mostram-se cada vez mais preocupados com a situação da Europa, diante das crescentes dúvidas de que a Grécia terá condições de honrar seus compromissos de dívida futuros. Com a perspectiva de baixo crescimento no continente, os analistas começam a duvidar da capacidade de pagamento de outros países, principalmente daqueles com elevada relação endividamento/PIB.

O alvo preferencial hoje parece ser Portugal. A agência de classificação de risco Moody's colocou em revisão negativa, nesta quarta-feira, o rating Aa2 aplicado aos bônus do governo português. Isto significa que, a qualquer momento, eles podem ser rebaixados. A nota Prime-1 para o rating de curto prazo do país foi reiterada.

A notícia golpeou os mercados. O euro chegou a ser cotado a 1,2821 dólar no início da tarde desta quarta, hora local. Trata-se do nível mais baixo em um ano. O movimento é reflexo da fuga de capitais da Europa para outros títulos, principalmente os do Tesouro norte-americano.

Bolsas - Há pouco, o índice PSI 20 da Bolsa de Lisboa registrava queda de 1,34%. Ontem, já havia amargado um declínio de 4,21%. Em Madri, o IBEX 35 recuava 2,27%. O indicador das ações das 20 maiores empresas registrava forte decréscimo de 3,89% na Bolsa de Atenas. Já o índice FTSE 100 da Bolsa de Londres estava com queda de 1,11%, seguido de perto pelo CAC 40 da bolsa pariense, com -0,87%. Em Frankfurt, um declínio um pouco menos acentuado do DAX, de 0,74%.

As bolsas americanas registraram fortes quedas logo após a abertura, mas se recuperaram ao longo da manhã. Por volta do meio-dia em Nova York, o índice Nasdaq mostrava um recuo de 0,21%. Dow Jones e S&P 500, no entanto, já encontravam no campo positivo, com altas de 0,08% e 0,16%.

Em movimentação semelhante à das americanas, a Bolsa de Valores de São Paulo abriu em queda, chegou a recuar 1,84% e, há pouco, buscava a recuperação, com leve alta de 0,78%. Ante o anúncio do Plano Nacional de Banda Larga em Brasília, em que a Telebrás exercerá papel fundamental e, para isso, contará com capitalização de 3,2 bilhões de reais, os papéis da estatal subiam com vigor. As ações ordinárias (ON, com direito a voto) estavam com acréscimo de 39,46%, ao passo que as preferenciais (PN, sem direito a voto) apresentavam alta de 35%.

Fonte:
Veja.com

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário