Bovespa fecha em queda de 2,01% puxada por Hungria e dados dos EUA

Publicado em 04/06/2010 18:40 454 exibições

A perspectiva de uma crise fiscal na Hungria, outro país da zona do euro a anunciar problemas em seu orçamento, e dados negativos sobre o mercado de trabalho nos Estados Unidos puxaram a Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) para baixo nesta sexta-feira. Após uma semana de volatilidade por conta da ausência de notícias sobre a crise europeia, os mercados em todo o mundo tiveram forte queda hoje.

O Ibovespa, que reflete os preços das ações mais negociadas, caiu 2,01% no fechamento, atingindo os 61.675 pontos. O giro financeiro foi de R$ 5,16 bilhões, abaixo da média de maio (R$ 7 bilhões/dia). Em três dias de pregão neste mês --a Bolsa permaneceu fechada na quinta por conta de feriado nacional--, o índice cedeu 2,17%.

Nos EUA, o índice Dow Jones (da Bolsa de Nova York) teve queda de 3,15% na conclusão das operações, para 9.931 pontos. O nível é o menor desde fevereiro.

"O mercado amanheceu com sentimento bem pessimista por conta da Hungria, e os dados sobre o emprego nos Estados Unidos saíram vem abaixo do esperado. Houve um sentimento forte de aversão ao risco, os investidores voltaram a temer os problemas na zona do euro", afirmou Paulo Hegg, operador da Um Investimentos.

O dólar comercial foi cotado por R$ 1,859, em alta de 1,75%. No mercado de câmbio externo, o euro bateu as mínimas frente ao dólar em quatro anos, chegando a US$ 1,1956. "Isso trouxe bastante preocupação sobre a fraqueza da moeda e influenciou o mercado", disse.

O primeiro-ministro da Hungria declarou hoje que é difícil que o país escape de uma crise fiscal semelhante à da Grécia. O governo anterior manipulou dados sobre a situação fiscal do país, informando que as conts públicas estavam em situação melhor que a real.

O novo governo, que assumiu no último sábado, prometeu divulgar neste fim de semana uma avaliação sobre as contas públicas do país e disse que anunciará em breve um plano de ação para resolver os problemas.

Além disso, o Departamento do Trabalho norte-americano divulgou nesta sexta que a economia dos EUA gerou 431 mil empregos em maio. A maioria deles (411 mil) foi criada em caráter temporário pelo governo, para a realização do Censo 2010. Os economistas previam a geração de 513 mil postos.

A contratação do setor privado foi bastante fraca, levantando preocupações sobre o ritmo de retomada da economia. A taxa de desemprego caiu para 9,7%, ante 9,9% em abril. O dado veio um pouco melhor do que o previsto (9,8%).

Petrobras

Na contramão do mercado, as ações da Petrobras subiram nesta sexta-feira, embaladas por sinais de que a capitalização da companhia será de fato realizada. Petrobras ON subiu 0,81%, para R$ 33,59, enquanto a as ações PN subiram 0,30%, para R$ 29,19.

"O anúncio de uma nova descoberta de petróleo na Bacia de Campos também acabou animando bastante o papel", disse Hegg.

Na quarta-feira, a companhia anunciou que nomeou o Bank of America Merrill Lynch, o Bradesco BBI, o Citi, o Itaú-BBA, o Morgan Stanley e o Santander como coordenadores globais de oferta pública de ações da companhia.

A oferta de ações visa a capitalização da companhia, que faz parte do projeto de desenvolvimento do pré-sal que está em análise no Congresso.

Fonte:
Folha Online

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário