Bovespa volta a fechar com perdas modestas; na semana, ganho é de 1,3%

Publicado em 18/06/2010 18:14 253 exibições

A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) teve um dia instável, mas de oscilações apenas modestas, numa sessão de negócios caracterizada principalmente pela ausência de indicadores mais fortes. Na Europa, autoridades multiplicaram esforços para tranquilizar os mercados sobre as condições do setor bancário espanhol, que chegou a ser foco de algum nervosismo nas semanas anteriores.

O Ibovespa, principal índice de ações da Bolsa paulista, recuou 0,16% no fechamento, atingindo os 64.437 pontos. O giro financeiro foi de R$ 6,56 bilhões, melhor do que fraco volume registrado nos últimos pregões.

Nos EUA, o índice Dow Jones, da Bolsa de Nova York, teve alta de 0,16%.

O dólar comercial foi vendido por R$ 1,772, em um declínio de 1,06%. A taxa de risco-país marca 222 pontos, número 0,89% abaixo da pontuação anterior.

Na semana, a Bolsa valorizou 1,3%, e no mês, 3,06%. Já a taxa de câmbio brasileira apresentou decréscimo de 2,4% e no mês, de 2,6%.

Roberto Kropp, diretor da Daycoval Asset Management vê uma "mudança de agenda" para o mercado nos próximos dias. "O problema [na Europa] já não é tão agudo quanto antes. São os EUA que realmente preocupam. Todo mundo sabe que a Europa vai ter um crescimento lento nos próximos anos, e em termos de economia mundial, conta-se com a China e os EUA para puxar a retomada", comenta. "Enquanto o mercado de trabalho [dos EUA] estiver dando sinais de recuperação, ainda que lenta, o mercado tende a ficar mais tranquilo", acrescenta.

Entre as principais notícias do dia, a FGV (Fundação Getúlio Vargas) apontou uma inflação de 1,06% em junho, pela leitura do IGP-M, ainda em sua segunda estimativa prévia. Em maio, no mesmo período, a variação foi de 0,95%.

No front externo, o banco central espanhol declarou que o sistema bancário local, sob suspeição após os problemas de algumas instituições financeiras, é "saudável". "O sistema bancário da Espanha, como um todo, é saudável, mesmo se existirem diferenças nas posições financeiras das entidades dentro dele", afirmou o vice-presidente do BC local, Javier Ariztegui.

A União Europeia comunicou que os 25 maiores bancos da região devem sofrer "testes de estresse", para averiguar a resistência a um cenário de piora da crise. Analistas avaliam que os resultados devem ser acompanhados com atenção pelo mercado.

Nos EUA, A fabricante de maquinário pesado Caterpillar, uma dos gigantes mundiais neste setor, reportou um aumento de 11% nas vendas mundiais em maio, na comparação com o desempenho verificado em idêntico período de 2009, com a recuperação dos negócios na América do Norte e da Ásia.

O governo japonês avaliou que a economia nacional está em processo estável de recuperação, com uma base de recuperação sustentável. O relatório de junho contrasta o com texto publicado em maio, onde as autoridades afirmaram que a economia estava em recuperação, mas que continuava em condições frágeis.

Fonte:
Folha Online

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário