Em dia de perdas, Bovespa segue mercados externos; dólar vale R$ 1,80

Publicado em 23/06/2010 13:51 169 exibições

As ações brasileiras são negociadas com perdas na jornada desta quarta-feira. As Bolsas europeias e americanas também operam em terreno negativo, sob expectativa da reunião do banco central dos EUA, que anunciou nas próximas horas sua decisão sobre os juros do país. Os indicadores divulgados hoje sobre vendas de casas vieram abaixo das expectativas.

O Ibovespa, principal termômetro dos negócios da Bolsa paulista, perde 0,60%, aos 64.420 pontos. O giro financeiro é de R$ 3,02 bilhões. Nos EUA, a Bolsa de Nova York recua 0,15%.

Na Europa, a Bolsa de Londres cai 1,30% enquanto a Bolsa de Frankfurt retrai 1,02%.

O dólar comercial é negociado por R$ 1,801, em alta de 1,06%. A taxa de risco-país marca 236 pontos, número 1,28% acima da pontuação anterior.

Entre as primeiras notícias do dia, o governo americano reportou uma queda de 32,7% nas vendas de casas novas em abril. O número foi ainda pior do que o esperado por economistas do setor financeiro, que já previam um decréscimo de 18,7% para o período.

Ontem, uma pesquisa privada informou uma retração de 2,2% nas vendas de casas usadas em abril, em outro desempenho frustrante do setor imobiliário.

Ainda na cena externa, a empresa de pesquisas Markit apontou uma expansão mais lenta do nível de atividade, tanto no setor de serviços quanto manufatureiro, entre as empresas na zona do euro, em junho.

No front doméstico, a FGV apontou um aumento da confiança do consumidor brasileiro na economia já pelo quarto mês consecutivo. O ICC (Índice de Confiança do Consumidor) subiu 1,9% entre maio e junho de 2010, ao passar de 116,3 para 118,5 pontos.

O Banco Central revelou que o volume de crédito no país atingiu a marca recorde de R$ 1,5 trilhão em maio (45,3% do PIB), o que representa um aumento de 2% no mês e de 19% em 12 meses. Também comunicou que os juros bancários subiram pelo segundo mês consecutivo no período. O BC ainda manteve a previsão de carteira de crédito em 20% para este ano.

Investidores e analistas aguardam o anúncio da decisão de política monetária dos EUA, prevista para as 15h15 (hora de Brasília). A expectativa é de que haja somente a sinalização de que as taxas devem continuar extremamente baixas (em torno de 0,25% ao ano) por um período prolongado.

Fonte:
Folha Online

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário