Federarroz integra mobilização por renda na agricultura

Publicado em 09/08/2010 07:46 e atualizado em 09/08/2010 08:28 451 exibições
Pelo menos 1,5 mil arrozeiros serão mobilizados nesta terça-feira (10) em Porto Alegre
A Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz) fortalecerá o Movimento dos Produtores Gaúchos, ao lado da Farsul, Fetag, Aprosoja e Fecoagro, na mobilização setorial por renda no campo, seguro agrícola e solução dos passivos do agronegócio.
Além dos arrozeiros, o movimento conta com produtores de soja, milho, trigo, fumo, leite e pecuaristas. A expectativa é mobilizar pelo menos 1,5 mil rizicultores para a concentração da próxima terça-feira, a partir das 10h, na Praça da Farsul, em Porto Alegre (RS).

 “Trata-se de uma grande mobilização em defesa da solução dos grandes problemas da agropecuária brasileira, pois outros estados também farão audiências públicas e manifestações neste mesmo dia. O agronegócio tem uma força muito grande na economia do Brasil, mas o produtor é cada vez mais penalizado e precisa de uma política agrícola que permita o acesso a renda”, destaca Renato Rocha, presidente da Federarroz. “O Setor Produtivo Arrozeiro tem importantes demandas, como um seguro agrícola compatível com a realidade da lavoura, apoio às exportações, desoneração de tributos nos insumos e máquinas agrícolas, renegociação de passivos, ações emergenciais de socorro aos produtores atingidos por enchentes em 2009 e 2010, acesso ao crédito rural e uma política agrícola eficiente”, complementa o dirigente arrozeiro.

Principais pontos da proposta de política agrícola ao setor produtivo:

a)      SEGURO RURAL e PROAGRO: Seguro de produção e não de crédito, cobertura para eventos não controláveis pelo produtor, aumento da subvenção ao prêmio, aumento do percentual de cobertura, entre outros;

b)     RENDA AGRÍCOLA: Mecanismos de comercialização, desoneração de custos, estímulo às exportações, incentivo à armazenagem ao produtor e acesso ao crédito rural;

c)      SOLUÇÃO DO PASSIVO: novo programa de renegociação de dívidas englobando débitos de custeio e investimento desde a safra 03/04 até 30/06/07 e custeios prorrogados por frustração de safra e/ou comercialização.

O Grupo de Trabalho - GT das entidades fará reunião nesta segunda-feira (09/08) às 14h na sede da Farsul, para concluir a proposta a ser entregue ao Governo Federal.

Fonte:
Federarroz

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

1 comentário

  • Flávio Pompei Uberaba - MG

    Nossa agropecuária, infelizmente, padece de um mal persistente: só aceita se organizar na hora da dor, em que na linguagem um pouco chula, "na hora que água bate ..." Fora desses momentos de dor a maioria gosta mesmo é de praticar o individualismo e o isolacionismo. No entanto, a melhor solução independe desses movimentos paredistas, emocionalmente carregados, ou de outras exibições de força de "pigmeus desorganizados". Ela começa, efetivamente, agora já na próxima eleição, com o voto consciente. A agropecuária terá mais uma oportunidade de realmente exibir sua força, se votar para nos livrarmos desses PeTralhas que se candidatam. Eles tem uma máquina pública de "fazer dinheiro" para os próprios interesses. Do outro lado estamos nós, da agropecuária, querendo enfrentar essa gente sem investir um só tostão do próprio bolso nos que consideramos honestos e éticos. Realmente chega ser risível essa "Guerra de Brancaleone". Tenho consciência de que estou fazendo minha parte e estimulo meus colegas a "sairem da toca" para nos ajudar extirpar o Petralhismo que atravanca o progresso.

    0