Rússia se prepara para ser gigante em fertilizantes no mundo.

Publicado em 17/08/2010 17:04 530 exibições
A Rússia deu o primeiro passo para se tornar um gigante mundial de fertilizantes, criando a primeira grande empresa nacional desde a consolidação do setor energético do país, em meados dos anos 2000.
De acordo com o canal russo  Moscou Chanel, Suleiman Kerimov,  oligarga próximo ao Kremlin, deverá assumir o controle da Silvinit, o maior produtor de potássio da Rússia, e realizar   a fusão com a Uralkali, outro grande produtor do metal. Kerimov adquiriu recentemente o controle da Uralkali, que é listada na bolsa de Londres.
Com a união a  empresa do Canadá Potash Corporation  com uma produção  anual de 11,5 milhões de toneladas seria a primeira , e a fusão Silvinit-Uralkali seria a segunda.
  Segundo o banco de investimentos russo Troika Dialog, o  envolvimento do Kremlin reflete o interesse renovado do governo em assumir parte das maiores minas de potássio e fosfato do mundo, na medida em que os preços se recuperam depois da queda registrada no ano passado.
 

A brasileira Vale adquiriu ativos em fertilizantes por quase US$ 5 bilhões, enquanto a BHP Billiton comprou a Athabasca Potash, do Canadá, por US$ 323 milhões.
 Com a aquisição do controle da Silvinit afirmaram que o negócio poderia ocorrer ainda esta semana. Kerimov, que também é deputado na Rússia, deseja adquirir mais 30% da companhia, totalizando 52,4% das ações. Segundo fontes, o negócio seria feito por um consórcio de compradores - de forma que a fusão não necessitasse da aprovação do serviço antimonopólio russo.
 O apetite de Kerimov não terminaria por aí. O oligarga do setor de metais estaria negociando também com a Belaruskali, o terceiro maior produtor de potássio do mundo, e com a Phosagro, a maior empresa de fosfato russa. Tudo isso ocorreria com total apoio do Kremlin de acordo com a agencia e Notícias Rússia Itar Tass
Produtividade
A agricultura brasileira é líder de produtividade no mundo. Cresce a uma taxa de 3,66% ao ano segundo dados do Ministério da Agricultura, taxa superior à da China e à dos Estados Unidos. Em 2009, o agronegócio foi responsável por cerca de 33% do Produto Interno Bruto (PIB, tudo que é produzido no país em um ano), representando cerca de 42% das exportações nacionais.
Países que mais vendem fertilizantes ao Brasil
- Canadá
- Rússia
- Alemanha
- Israel
- Estados Unidos
- Espanha
- Chile
- Reino Unido
- Holanda

Quanto mais altos forem os preços dos insumos pagos pelos produtores rurais, como fertilizantes, corretores de solo e sementes, maior será o custo de produção. Se fica caro para o agricultor plantar, o reflexo baterá diretamente no bolso do consumidor, com alimentos mais caros. Enquanto o Brasil for dependente de outros países estará totalmente à mercê dos preços internacionais e dos efeitos do câmbio, sem condições de equilibrar melhor esses preços.

Valéria Vilella

Fonte:
Redação NA

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário