Bovespa sobe 1,12% e encosta nos 72 mil pontos; dólar vai a R$ 1,70

Publicado em 01/11/2010 14:02
252 exibições

A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) registra valorização na rodada de negócios desta segunda-feira e encosta nos 72 mil pontos. Indicadores positivos da economia americana e chinesa estão puxando a alta.

O índice Ibovespa, que reflete os preços das ações mais negociadas, sobe 1,12%, aos 71.463 pontos. O giro financeiro é de R$ 1,91 bilhão. Nos EUA, o índice Dow Jones, da Bolsa de Nova York, registra alta de 0,28%.

O dólar comercial é cotado por R$ 1,707, em alta de 0,23%. A taxa de risco-país marca 170 pontos, número 2,85% abaixo da pontuação anterior.

Entre as primeiras notícias do dia, houve dados surpreendentemente fortes de produção manufatureira da China. O crescimento da atividade manufatureira no país atingiu a maior taxa em seis meses em outubro, segundo índices de gerentes de compra, sugerindo que a segunda maior economia do mundo segue em expansão apesar da fraqueza dos Estados Unidos e da Europa.

Ainda no front externo, o setor manufatureiro dos EUA apresentou expansão pelo 15º mês consecutivo em outubro. A sondagem da entidade privada ISM (Instituto de Gestão de Fornecimento, na sigla em inglês) divulgada nesta segunda-feira teve uma leitura de 56,9 pontos em outubro, ante 54,4 em setembro. Pela metodologia do instituto, uma pesquisa com um resultado acima dos 50 pontos significa que o aumento do nível de atividade em determinado setor.

O Departamento de Comércio dos EUA divulgou hoje que o nível de gastos na construção civil teve um aumento de 0,5% em setembro, para US$ 801,7 bilhões. No mês anterior o montante chegou a US$ 797,5 bilhões (dado revisado). A alta no indicador causa surpresa. Os analistas de mercado projetavam queda de 0,5% para o mês.

O expediente de hoje também deve ter alguma influência das expectativas pela reunião do Federal Reserve, o banco central dos EUA. A autoridade econômica americana deve anunciar depois de amanhã uma nova rodada de estímulos à economia --o chamado "quantitative easing", um evento aguardado há semanas por investidores e analistas.

No Brasil, o mercado elevou a previsão para o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) neste ano de 7,55% para 7,60%. Já para a inflação oficial, o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), a estimativa subiu de 5,27% para 5,29%.

Ontem à noite, o resultado das urnas confirmou os prognósticos das pesquisas, com a eleição da candidata Dilma Roussef (PT) para a Presidência da República. Na avaliação de alguns economistas, o mercado deve refletir, nas próximas semanas, a discussão dos nomes indicados para preencher as principais posições do novo governo.

Fonte: Folha Online

Nenhum comentário