China vê expansão em risco por alta do petróleo, e não inflação

Publicado em 24/02/2011 10:14 197 exibições
A disparada dos preços do petróleo terá pouco impacto sobre a inflação ao consumidor na China, mas colocará uma considerável pressão de custo sobre as empresas do país, disseram um assessor do governo e uma autoridade ministerial nesta quinta-feira.

O peso do petróleo sobre o índice de preços ao consumidor chinês é muito pequeno para elevar em muito a inflação, disse Deng Yusong, economista do Centro de Desenvolvimento de Pesquisa do governo da China.

Em outra ocasião, uma autoridade do Ministério de Indústria da China advertiu que a escalada dos preços do petróleo precisa ser monitorada de perto para a possibilidade de prejuízo ao crescimento manufatureiro no país.

"Na última década, os preços de alimentos e moradias representaram mais de 90% da mudança no índice de preços ao consumidor chinês", disse Deng em relatório publicado no site de notícias financeiras Hexun.com.

"Portanto, o impacto das mudanças no preço do petróleo é relativamente pequeno, mas o impacto dos preços do petróleo sobre o índice de preços no atacado pode ser bem profundo." Xiao Chunquan, vice-diretor do Ministério de Indústria e Tecnologia da Informação, disse a jornalistas que as empresas

estão ameaçadas não apenas pelos custos do petróleo, mas também pelo algodão e o minério de ferro, que atingiram máximas recordes nos últimos dias.

"Nós precisamos monitorar de perto as mudanças de preços e o seu impacto sobre o crescimento industrial", disse Xiao, que não quis dar previsões sobre a dimensão do possível impacto.

Fonte:
Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário