Soja opera em baixa depois de anúncio de novo terremoto no Japão

Publicado em 07/04/2011 12:03 e atualizado em 07/04/2011 14:52 975 exibições

Um terremoto de magnitude 7,4 atingiu nesta quinta-feira a costa leste de Honshu, no Japão. A agência meteorológica do Japão emitiu um alerta de tsunami para a região, a mesma afetada pelas ondas gigantes em 11 de março.

O tremor foi registrado pelo serviço Meteorológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês) às 23h32 (11h32 em Brasília) e com epicentro a 98 km de Sendai e 144 km de Fukushima, as regiões mais atingidas pelo devastador terremoto e posterior tsunami do último dia 11.

O instituto americano afirma ainda que o tremor, que seria uma réplica do sismo de magnitude 9,0 de 11 de março, ocorreu a uma profundidade de 40 km.

A CNN exibiu imagens registradas durante o tremor, com prédios chacoalhando por cerca de um minuto na capital Tóquio, a 345 km do epicentro.

Ainda não há relatos de danos ou vítimas.

Mercado - Depois do anúncio do terremoto no Japão, o mercado de grãos na Bolsa de Chicago prontamente passou a regir negativamente.

Por volta de 12h56, os preços da soja - que encerraram o pregão noturno com leve alta - já recuavam mais de 12 pontos,  o milho - que segue sustentado nos fundamentos - mais de 2 pontos, e o trigo mais de 15.

Segundo o analista de mercado Ricardo Lorenzet, da XP Investimentos, a volatilidade é muito alta e o mercado se mostra extremamente vulnerável diante dos acontecimentos.

Além disso, os agentes de mercado já passam a vender soja e trigo às vésperas do relatório mensal de oferta e demanda de abril do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), que deve ser divulgado nesta sexta-feira, 8.

Tremor de magnitude 6,7 atinge o México, sem vítimas
Reuters

Um terremoto de magnitude 6,7 abalou o México nesta quinta-feira, mas sem registro imediato de vítimas ou danos, segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, sigla em inglês).

O epicentro do tremor ocorreu no Estado de Veracruz, no leste do país.

Por:
Carla Mendes
Fonte:
Uol + Notícias Agrícolas

0 comentário