Setor primário do Rio Grande do Sul cobra revisão de Orçamento

Publicado em 28/07/2011 10:24 384 exibições
Representantes do setor primário do Rio Grande do Sul encaminharam ontem (27) para o governador Tarso Genro um pedido formal para que, no próximo orçamento, os recursos destinados ao setor sejam superiores à fatia de 0,75% deste ano. O documento, fechado ontem, na segunda reunião da Câmara Temática de Economias do Campo, que integra o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), destaca ainda que o percentual vem diminuindo e é insignificante, ainda mais se dividido em duas secretarias (Agricultura e do Desenvolvimento Rural e Cooperativismo), como ocorreu em 2011. Em 2002, o valor repassado apenas à Secretaria da Agricultura era de 2,7% do orçamento estadual.

No documento, o grupo não fixou percentual ideal, mas, segundo o conselheiro Virgilio Perius, o montante teria que ser de, no mínimo, 5%, seguindo padrão federal. Perius explica que o setor entende que o governo deve priorizar saúde, segurança e educação, mas a produção de alimentos não pode ser esquecida. "Hoje, o orçamento é esmilinguido", frisou. Neste primeiro ano do governo Tarso, os R$ 315 milhões previstos para o setor tiveram que ser divididos: R$ 183 milhões para a Seapa e R$ 129 milhões para Desenvolvimento Rural.

O vice-presidente da Farsul, Gedeão Pereira, destacou que o agronegócio almeja mais recursos, mas que outros pontos estão em discussão e nova carta de recomendação deve ser apresentada ao plenário do CDES. Entre os temas, estão na lista de debates reforma agrária, cooperativismo e políticas de incentivo.

Fonte:
Correio do Povo

0 comentário