Ministério da Agricultura assina convênio de defesa sanitária animal com o Estado de Mato Grosso do Sul

Publicado em 04/08/2011 14:07 193 exibições
Acordo disponibiliza R$ 16,6 milhões para o combate de enfermidades como febre aftosa, peste suína clássica, vaca louca, entre outras.
O secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Francisco Jardim, assinou nessa quarta, dia 3, um convênio de defesa sanitária animal com o Estado de Mato Grosso do Sul, que disponibilizará R$ 16,6 milhões para investimentos. O acordo foi firmado na presença do ministro da Agricultura, Wagner Rossi, e do governador André Puccinelli (PMDB).

– As ações em Mato Grosso do Sul são uma referência em relação aos controles realizados pelo Ministério. Queremos reforçar essa estrutura e ampliar alguns pontos. O sistema de defesa inclui várias metas e precisamos somar esforços para fazer um combate forte à questão da clandestinidade também – destaca Jardim.

O objetivo do convênio é estruturar e manter o Sistema Unificado de Atenção à Saúde Agropecuária (Suasa) para controle, erradicação e prevenção das doenças dos animais. Serão combatidas enfermidades como febre aftosa, peste suína clássica, vaca louca, brucelose e tuberculose, influenza aviária e raiva dos herbívoros, entre outras.

Segundo o diretor do Departamento de Saúde Animal (DSA) do Ministério da Agricultura, Guilherme Marques, já foram assinados convênios semelhantes com os Estados da Bahia, Mato Grosso e Minas Gerais. Os acordos são plurianuais, com duração de cinco anos, ou seja, de 2011 a 2015. No total, entre as quatro unidades, foram liberados R$ 28,6 milhões em recursos para serem utilizados no ano de 2011.

– O foco é manter os avanços que já foram conquistados e melhorar o status sanitário dos Estados, além de harmonizar procedimentos em todo o país – ressalta.

Os contratos prevêem metas obrigatórias, estabelecidas pelo Ministério, que os Estados precisam cumprir para continuarem participando dos convênios. Entre os planos de trabalho determinados estão capacitação do Grupo Especial de Atenção a Enfermidades Emergenciais (Gease), instalação ou melhoria estrutural de centro de triagem laboratorial e estruturação (ou manutenção) de equipes volantes de fiscalização de trânsito animal de produtos.

Fonte:
Mapa

0 comentário