Em dia de feriado no Brasil, bolsas fecham em alta nos EUA

Publicado em 08/09/2011 08:00 e atualizado em 08/09/2011 09:57 84 exibições
Os principais índices de ações norte-americanos subiram mais de 2% nesta quarta-feira (7), revertendo uma série de três dias de perdas após a maior corte alemã ter facilitado a participação de Berlim em pacotes de resgate que podem amenizar a crise da dívida europeia.

No Brasil, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) não funcionou nesta quarta em razão do feriado do Dia da Independência.

Na terça-feira, o Ibovespa subiu 2,93%, aos 56.607 pontos.

O Dow Jones avançou 2,47%, a 11.414 pontos. O S&P 500 exibiu alta de 2,86%, a 1.198 pontos. O Nasdaq teve ganho de 3,04%, a 2.548 pontos.

Papéis do setor financeiro tiveram uma forte recuperação, desempenho praticamente oposto ao movimento visto na sessão anterior. O índice de bancos KBW avançou quase 6%, enquanto a ação do Bank of America saltou 7%, impulsionada também por uma reorganização na diretoria do banco.

Reação na Europa
As ações europeias se recuperaram com um rali de uma mínima em dois anos após a corte alemã ter rejeitado uma série de ações cuja meta era impedir o país de participar de esforços para auxiliar a Grécia e outros países. O índice alemão DAX saltou mais de 4%.

Kevin Caron, estrategista de mercado na Stifel, Nicolaus & Co, em Nova Jersey, alertou que embora as avaliações de empresas estejam mais atraentes após uma queda de 12% do S&P 500 desde abril, a falta de certeza sobre a crise europeia e o futuro da economia dos Estados Unidos continuarão a golpear Wall Street.

'Esse é somente outro passo de um longo caminho', disse. 'Realmente gostaríamos de ver alguma melhora em alguns dos dados, mas ainda não chegamos lá'.

O índice de volatilidade CBOE recuou 9,6% após ter saltado 9% na terça-feira, mas ainda ficou acima dos 30 pontos, nível frequentemente interpretado como um sinal de alerta para os mercados acionários. O índice costuma se movimentar em uma trajetória oposta à do S&P 500.

A ação do Yahoo subiu 5,4% após o presidente do Conselho da companhia, Roy Bostock, demitir abruptamente a presidente-executiva Carol Bartz na terça-feira, encerrando um mandato tumultuoso marcado pela estagnação e uma rixa com o parceiro chinês Alibaba.

Fonte:
G1

0 comentário