Sem coelho na cartola, Fed frustra investidores

Publicado em 22/09/2011 08:28 e atualizado em 22/09/2011 11:59 315 exibições
Um sentimento de frustração tomou conta do mercado ontem. Na expectativa de que o Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos) tivesse uma carta na manga ou tirasse um coelho da cartola, os investidores se decepcionaram quando a autoridade monetária apresentou nada além do básico: uma operação de troca entre títulos com vencimentos mais longos por mais curtos.

E, como num castelo de cartas que começa a ruir, o Índice Bovespa, que chegou a subir 2,17%, foi perdendo força, até encerrar em queda de 0,70%, aos 55.981 pontos. A percepção era de que a desvalorização do índice só não foi maior porque a alta de 4,24% do dólar puxou as ações de exportadoras, amortecendo a queda.

A fim de pressionar para baixo as taxas de juros de longo prazo, o Fed pretende comprar US$ 400 bilhões em títulos com vencimento entre 6 e 30 anos, enquanto venderá a mesma quantidade de papéis com vencimento de até 3 anos, num programa chamado "Operação Twist". Reduzir as pressões sobre as taxas mais longas deve ajudar no refinanciamento de hipotecas, além de reduzir os custos dos empréstimos.

A frustração veio, no entanto, porque nada mais foi anunciado. Esperava-se juntamente com esse programa uma medida que colocasse mais dinheiro na economia. Uma das expectativas, por exemplo, era de que o BC americano poderia taxar os bancos pela não utilização de reservas, numa tentativa de fazer com que as instituições emprestem mais. "O mercado esperava algo além do que o Fed anunciou, já que só a 'Operação Twist' não resolve muita coisa", afirma George Sanders, gestor de renda variável da Infinity Asset Management.

O humor dos investidores azedou também porque alguns consideraram o tom do comunicado divulgado pelo Fed mais pessimista que o normal. Isso porque a autoridade americana citou no documento "riscos significativos de baixa para a perspectiva econômica", enquanto, no mês passado, somente afirmou que os riscos para baixo "haviam aumentado". O fato é que, nos Estados Unidos, o índice Dow Jones encerrou o dia em queda de 2,49%, enquanto o Nasdaq caiu 2,01% e o S&P 500 perdeu 2,94%.

Entre as ações que integram a carteira do Índice Bovespa, as ordinárias (ON, com direito a voto) da Lojas Renner foram as que mais sofreram, encerrando em queda de 4,57%, cotadas a R$ 52,20. Já a alta do dólar turbinou as ações da Embraer, cujos papéis ordinários fecharam em alta de 5,38%, negociados a R$ 11,94.

Fonte:
Valor Econômico

0 comentário