FINANCEIRO: Negócios na Europa passam para lado positivo e Bovespa acompanha alta

Publicado em 18/11/2011 10:34 375 exibições
Uma nova onda de pessimismo assombra a situação da crise política e financeira da Europa. As perspectivas não são nada boas e analistas e especialistas acreditam que uma solução efetiva e concreta, que possa solucionar os problemas a longo prazo, ainda está bastante distante.

Nesta sexta-feira, as principais bolsas de valores operavam no vermelho por todo o mundo. Na Ásia, os principais negócios fecharam a semana com saldo negativo e, na Europa, o dia também parecia ser de baixas. No entanto, por volta das 11h15 (horário de Brasília), os negócios viraram e passaram para o lado positivo da Europa. Acompanhando essa melhora e refletindo o aumento da nota de risco do Brasil, a Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) abriu seus negócios em alta, avançando 0,23%, a 57.122 pontos.

Uma notícia no site do jornal O Estado de S. Paulo mostra que hoje uma pressão extra veio de mais uma notícia negativa da Espanha, a bola da vez na crise da Zona do Euro. A soma dos empréstimos ruins detidos por bancos do país aumentou em setembro pelo sexto mês consecutivo, embora o ritmo dessa expansão tenha desacelerado, segundo dados do banco central espanhol.

De acordo com o relatório, 7,16% dos empréstimos detidos por bancos espanhóis estavam com o pagamento atrasado a mais de três meses em setembro. Em agosto, esse porcentual era de 7,14%.

Já uma matéria da agência Reuters, no site Terra, afirma que as bolsas recuam também em função das preocupações sobre os níveis insustentáveis dos juros dos bônus da Zona do Euro.

"Isso tem o carimbo de uma clássica crise de liquidez na Europa, onde países perfeitamente solventes de repente veem rendimentos que não são baseados em nenhum argumento racional", afirmou Lothar Mentel, diretor de investimento da Octopus Investiments sobre as baixas de hoje serem mais expressivas nos bancos do que em ações.

Nesta sexta-feira, o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, pediu aos governos da Eurozona ações mais severas contra a crise. Draghi "pressionou" os governantes para que iniciem o quanto antes o Fundo Europeu de Estabilização Financeira.

Em um discurso feito ao Congresso Bancário Europeu, em Frankfurt, o presidente do BCE questionou: "Onde está a implementação das decisões? Não devemos esperar mais".

>> Na Reuters: Bolsas europeias operam em queda por preocupação com juros

As bolsas de valores da Europa operavam em queda nesta sexta-feira, ampliando o declínio da véspera, por preocupações crescentes de que os juros dos bônus da zona do euro estejam em níveis insustentáveis. Às 7h50 (de Brasília), o índice das principais ações europeias FTSEurofirst 300 caía 0,25%, aos 955 pontos, rumando para queda de mais de 3% na semana. Os rendimentos dos bônus da Espanha atingiram recorde histórico em um leilão na quinta-feira.

>> No Estadão: Crise europeia mantém bolsas do exterior no negativo

A perspectiva sombria para a crise da dívida soberana europeia derrubou as bolsas da Ásia e Europa, bem como as cotações do cobre e da maioria das moedas da região. Foram particularmente afetadas as ações de empresas exportadoras e do setor de matérias-primas da Ásia.

>> Na Veja: Presidente do BCE pede a governos ação contra a crise

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, pressionou os governos da zona do euro para iniciar o Fundo Europeu de Estabilização Financeira (EFSF), mostrando exasperação com o lento progresso e resistindo à pressão para que o BCE assuma um papel maior anticrise.

Outros membros do BCE se juntaram a Draghi no pedido de ação aos governos, dizendo que o banco não deve ir além de seu mandato de manter a estabilidade de preços.

>> Na Folha: Bolsas da Ásia caem por temor com crédito na Europa

As Bolsas de Valores asiáticas fecharam em baixa pelo quarto dia seguido nesta sexta-feira, enquanto as dificuldades de financiamento aumentavam na Europa, com os juros pagos em bônus da Espanha atingindo um nível insustentável.

Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário